Dadá Alves

Dadá Alves

Curabitur ultrices commodo magna, ac semper risus molestie vestibulum. Aenean commodo nibh non dui adipiscing rhoncus.

Secretário estadual de Educação, Faisal Karam, diz que dado representa parte da evasão escolar

 

O Rio Grande do Sul tem cerca de 862 mil matriculados na rede estadual, segundo dados da Secretaria Estadual de Educação. Porém, na prática, há uma quebra nesse dado de cerca de 110 mil matrículas. Em outras palavras, são alunos que estão matriculados mas que não estão na sala de aula. Isso ocorre, explicou o secretário Faisal Karam, no final da manhã dessa sexta-feira, durante ao final do ano letivo, o sistema de matrículas automaticamente atualizava o cadastro do aluno, já assegurando a vaga no ano seguinte. Por exemplo, se ele estava no segundo ano do ensino básico, ao ser aprovado, ingressava no terceiro ano.

Essa medida ocorria para evitar que os alunos precisassem fazer a matrícula na escola. Porém, segundo o secretário, acabou por criar casos em que os alunos apesar de matriculados, não estão na sala de aula. A mudança nesse sistema ocorreu na virada do ano letivo para 2019. 

Apenas em Porto Alegre, distribuídos nas 246 escolas estaduais, são mais de 5.570 alunos que estão matriculados, mas fora da sala de aula Se eles fossem contabilizados em turmas, representaria 95 turmas. Esse calculo daria uma dimensão de outro problema: a falta de professores. Segundo ele, com os números reais de alunos, seria possível otimizar a distribuição dos estudantes nas turmas e também professores. “Do sexto ano para cima, tu multiplica por dez profissionais, que estão dando aula normal, mas estão com turmas reduzidas, que poderiam ter sido agrupadas. Digamos, por exemplo, a sétima série, em vez de ter 30 turmas, tu poderias ter 25.”

 

Fonte:CP

Produção brasileira marca o primeiro dia de evento nacional de cinema

 

O Festival de Cinema de Gramado, que começa nesta sexta-feira com um concerto às 16h na Rua Coberta pela Orquestra Sinfônica de Gramado, deve atrair 400 mil visitantes durante nove dias. A estimativa é da Gramadotur, autarquia municipal responsável pela organização do evento. Além das mostras competitivas de cinema, Gramado recebe uma série de eventos e festas paralelas que contribuem para a movimentação da cadeia turística.

O longa metragem "Bacurau", dirigido pela dupla Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, será o filme de abertura do festival. Com a presença dos diretores, a produção será exibida às 18h, desta sexta-feira, no Palácio dos Festivais. Na trama, o pequeno povoado de Bacurau, no sertão de Pernambuco, some do mapa misteriosamente e seus moradores começam a presenciar estranhos acontecimentos e assassinatos inexplicáveis. 

O presidente da Gramadotur, Édson Néspolo, destaca que o movimento de turistas surpreende no primeiro final de semana do evento. “Historicamente a concentração de público ocorre no final de semana de encerramento do festival, mas estamos com vários hotéis lotados já para a abertura”, afirma. Néspolo observa, ainda, que a programação do evento volta a valorizar a acessibilidade no cinema. “Nossa expectativa é muito positiva. Tudo está organizado para mais uma edição exitosa. Temos muitos atores famosos confirmados e outros continuam procurando. O aspecto inclusivo também é valorizado na programação”, diz.

O presidente do Sindtur Serra Gaúcha, Mauro Salles, confirma a projeção de boa movimentação turística no período. Segundo a entidade, a taxa de ocupação na rede hoteleira nos dois finais de semana do evento deve ficar entre 85% e 90%. “O auge da temporada de inverno se encerra junto com o final das férias escolares, o que provoca uma diminuição no movimento turístico. O Festival de Cinema chega em boa hora. O evento tem um nome forte e traz um certo glamour para Gramado”, afirma. Apesar da boa ocupação aos finais de semana, o presidente pondera que a taxa de ocupação diminui durante a semana. “Traz fluxo, mas não chega a impactar. Os eventos paralelos contribuem para a movimentação. Um público com bom poder aquisitivo”, explica. Segundo Salles, o fato de o período do festival ser considerado baixa temporada faz com que o preço das diárias em hotéis e pousadas sejam mais acessíveis. “Muitos estabelecimentos estão com ótimas promoções”, diz.

Com 47 anos de atividades ininterruptas, o Festival é considerado a principal vitrine do cinema brasileiro. Em 2019, serão exibidos 19 longas-metragens − latinos e nacionais − em competição e 34 curtas − entre gaúchos e nacionais −, além de mostras paralelas, exibições especiais, debates e discussões sobre o mercado audiovisual. Uma das novidades é a Mostra Competitiva Longas Gaúchos, com cinco filmes na competição.

Registrando recorde, a 47ª edição teve 195 longas brasileiros inscritos (eram 111 em 2018). Os sete que disputam os Kikitos foram produzidos em quatro estados − e no Distrito Federal. Já os longas estrangeiros, somaram 95 inscrições (eram 78 em 2018). A mostra competitiva conta com sete filmes de sete países distintos: Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, Equador, México e Uruguai. A categoria de curtas brasileiros, com 12 selecionados, contou com 777 inscrições, mais do que o dobro dos 365 da edição passada. Os curtas gaúchos receberam 95 inscrições e terão 20 títulos em competição. 

Primeiros curtas e longas-metragem

A partir das 20h45min, terão início as duas primeiras mostras competitivas do Festival. Na mostra de Curtas Brasileiros, será exibido o gaúcho “A Pedra”, de Iuli Gerbase. A produção aborda o drama de uma família, cujo bote que emperra durante um rafting. Pietra, a filha mais nova, é obrigada a perder a sua ingenuidade. O primeiro longa nacional a ser exibido será “O Homem Cordial”, de Iberê Carvalho (DF). Na noite de retorno aos palcos de famosa banda de rock do anos 80, viraliza na Internet um vídeo que envolve Aurélio Sá, vocalista e líder da banda, na morte de um policial militar. Paulo Miklos lidera o elenco.

Confira a programação do primeiro dia do Festival de Cinema de Gramado

16h - Abertura Oficial do Festival Rua Coberta com a presença da Orquestra Sinfônica de Gramado.
18h - Filme de Abertura "Bacuaru" (130 minutos) no Palácio dos Festivais, com a presença dos diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Sessão com audiodescrição e legenda descritiva.
20h45min - Mostra Competitiva, no Palácio dos Festivais, com a exibição do curta brasileiro "A Pedra" (RS) de Iuli Gerbase (19'15''), e do longa brasileiro "O homem cordial" (DF), de Iberê Carvalho (85 minutos). Ambas as sessões serão com audiodescrição e legenda descritiva.

 

Fonte:CP

Mais de 40 ordens judiciais devem ser cumpridas nesta sexta-feira

 

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta sexta-feira uma operação contra o tráfico de drogas em cidades do Noroeste do Rio Grande do Sul. A ofensiva, chamada de Faroeste Caboclo, deverá cumprir 17 mandados de prisão e 28 mandados de busca e apreensão em Carazinho, Cruz Alta, Palmeira das Missões, Panambi, Passo Fundo e Santa Bárbara do Sul. Dez pessoas já foram presas. 

A operação conta com o apoio da Brigada Militar, Exército, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe). 

Drogas foram apreendidas durante a operação de hoje / Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP  

 

Fonte:CP

Alcides Martins poderá ficar na vaga de Raquel Dodge

 
 
O presidente Jair Bolsonaro indicou nessa quinta-feira que a troca na chefia da Procuradoria-Geral da República pode ser efetivada apenas após o fim do mandato de Raquel Dodge, que se encerra em 17 de setembro. Nesse cenário, quem assumiria interinamente o órgão seria o vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal, Alcides Martins, eleito para o posto na semana passada.

“Não tem prazo (para indicar o nome da PGR), porque senão vão dizer que estou recuando o tempo todo. Não tem prazo, eu até estou muito feliz com o que vem acontecendo na PGR. Não temos nenhum problema se, porventura, até a data prevista não tiver uma pessoa exercendo efetivamente essa função”, disse Bolsonaro.

Mais cedo, ao deixar o Palácio da Alvorada, o presidente afirmou que, em alguns casos, o candidato ao cargo pode ser especialista no combate à corrupção, mas esbarrar nas ideias do presidente sobre questões ambientais. Nos últimos dias, o presidente se reuniu com os subprocuradores Bonifácio Andrada e Antônio Carlos Simões Martins Soares e os dois também passaram a ser cotados para a sucessão de Raquel.
 
 
Fonte:CP

Opção seria antecipar Inter x Cruzeiro pela semifinal da Copa do Brasil do dia 04/09 para o dia 03/9, uma terça-feira

 

Terminou a reunião da direção do Inter com o presidente da CBF, Rogério Caboclo. 
Ficou decidico que nada está decidido na questão Guerrero.
Caboclo teria telefonado para a Conmebol na frente dos dirigentes colorados em busca de uma solução.
Ainda há a esperança de que a Federação Peruana libere Guerrero dos amistosos.
Embora o jornar peruano Líbero tenha informado que Paolo Guerrero será chamado. 
O Inter já trata das opções.
Mas todas dependem de mudança no calendário.
Uma delas seria antecipar Inter x Cruzeiro pela semifinal da Copa do Brasil do dia 04/09 para o dia 03/9, uma terça-feira.
O Peru encara o Equador e depois o Brasil, nos dias 5 e 10 de setembro, respectivamente, nos EUA. 
Guerrero jogaria em Porto Alegre no dia 3 e viajaria de jatinho para os EUA. 
Mas o Cruzeiro teria que aceitar a mudança.

 
 
 
 
Fonte:CP

Tricolor também confirmou ampliação do vínculo com o zagueiro Marcelo Oliveira até 2020

 

O Grêmio renovou o contrato com o meia Jean Pyerre até o ano de 2023. O jogador tem sido fundamental no esquema do técnico Renato Portaluppi, se consolidando como titular em 2019. Na noite de quarta-feira, ajudou o Grêmio a construir a vitória por 2 a 0 sobre o Athletico-PR, pela semifinal da Copa do Brasil, marcando o segundo gol do jogo.

O contrato de Jean Pyerre foi estendido por mais dois anos. Inicialmente, o vínculo ia até 2021. No ano, o meia soma 34 jogos como titular, e 5 gols na temporada, sendo 2 na Libertadores, 2 no Brasileirão, além do anotado na noite de ontem.

Natural de Alvorada, Jean Pyerre está no elenco principal desde o ano passado, e esteve presente nas conquistas do bicampeonato gaúcho e da Recopa Sul-Americana. No total, marcou 9 vezes como profissional com a camisa do Grêmio, e esteve em campo em 56 jogos. 

Grêmio renova com Marcelo Oliveira

Ainda na tarde desta quinta-feira, o Grêmio anunciou a renovação de contrato com o zagueiro Marcelo Oliveira. O atleta teve seu vínculo renovado até dezembro de 2020 com o Tricolor.

No momento, Oliveira se recupera de uma grave lesão no joelho direito. Ele não entra em campo desde o dia 28 de março, no empate em 0 a 0 contra o Juventude, quando se machucou, e teve constatado o rompimento de três ligamentos. Da data da lesão, são 140 dias sem entrar em campo. 

Marcelo Oliveira integra o grupo gremista desde o início de 2015. Fez parte do grupo campeão da Copa do Brasil, da Libertadores, da Recopa Sul-Americana e do bicampeonato gaúcho. Oliveira soma 173 jogos com a camisa do Grêmio, com 6 gols marcados.

Vínculo do zagueiro foi ampliado até dezembro de 2020

Vínculo do zagueiro foi ampliado até dezembro de 2020. Foto: Lucas Uebel / Grêmio 

 

Fonte:CP

Rede social vai disponibilizar botão denunciar para que o usuário avise sobre publicações suspeitas

 

 

A rede social Instagram, que pertence ao Facebook, disponibilizou um recurso que permite que os usuários denunciem postagens com informações falsas. A nova ferramenta, que está em fase de testes, disponibiliza o botão "denunciar" para  ser acionado quando a publicação for suspeita. Em seguida aparece na tela uma notificação de "informação falsa" para solicitar uma revisão para a equipe de verificadores de dados da empresa, informou a porta-voz do Facebook, Stephanie Otway.

A previsão é que esta opção esteja disponível para todos os usuários do Instagram até o fim deste mês. Esses avisos serão alguns dos vários "sinais" usados para determinar se o conteúdo deve ser examinado pelos verificadores, o que determinará sua veracidade.

"A partir de hoje, as pessoas poderão nos informar sobre postagens no Instagram que podem ser falsas", disse Otway. "Estamos investindo muito para limitar a propagação de informação errônea em nossos aplicativos, e planejamos compartilhar mais atualizações nos próximos meses".  O Facebook, a maior rede social do mundo, está tomando medidas contra campanhas fraudulentas com orientações específicas e contra publicações falsas.

Os posts do Instagram relatados por usuários que forem falsas, mas que não violarem as políticas da rede, não serão excluídas, mas não aparecerão quando os usuários utilizarem a ferramenta "pesquisa" ou hashtags para procurar por um conteúdo. "O campo de busca e as hashtags permitem que as pessoas encontrem no Instagram um conteúdo que ainda não decidiu seguir, e ao filtrar a informação errônea destas publicações podemos limitar significativamente seu alcance", acrescentou Otway.

Comentários sobre a nova ferramenta serão usados como insumos para alimentar o software de inteligência artificial para detectar e avaliar falsas publicações sem esperar que elas sejam relatadas, explicou o Facebook.

AFP

 

FonteCP

Jornada de Olívia, 42 anos, começou no Rio e acabou sem emprego e sem creche para filho de 4 anos em Porto Alegre

 

No início da noite de quinta-feira a carioca Olívia Dias, 42 anos, chegou ao plantão do Conselho Tutelar de Porto Alegre, localizado no bairro Rio Branco. Ao seu lado estava o filho de quatro anos. Ela se dirigia às conselheiras presentes com aquilo que classificou como a coisa mais difícil que já fez na vida: pedir para que o Estado conseguisse um abrigo para o menino por ela não ter condições de cuidar dele.

A história de Olívia começa no estado do Rio de Janeiro, de onde é natural. Durante os primeiros oito meses de vida do garoto ela morou com o pai da criança, mas as brigas constantes com o companheiro fizeram com que decidisse se separar. “Não queria que ele ficasse naquele ambiente”, diz ao falar da decisão. Foi logo depois disso que começou a vender comida na rua, após ter muitas portas fechadas na procura por um emprego formal. “Eu conseguia alugar uma casa, e dar sustento ao meu filho, mas algumas amigas insistiram para que eu fosse para Florianópolis dizendo que lá eu me daria bem”, lembra. Só que a promessa de uma vida melhor ficou apenas na promessa, e Olívia não conseguiu emprego além de, principalmente, uma creche onde o filho pudesse ficar enquanto procurava sustento.

Sem alternativas de creche no estado vizinho, restou a ela uma última medida, que era a mudança para Porto Alegre. Um mês atrás, Olívia chegou à Capital Gaúcha e recomeçou mais uma vez a peregrinação em busca de uma creche, emprego e moradia. Olívia chegou a cogitar viver em uma ocupação na Cidade Baixa, mas as condições do local lhe pareceram inadequadas para abrigar ela e o menino. “Era muito precário, em um dos quartos a porta não fechava direito, e se chovesse forte como eu ia proteger ele?” Assim, ela foi em busca de um aluguel, e encontrou uma kitnet no bairro Santana ao custo de R$900 mensais, mas ainda não tinha conseguido encontrar uma vaga em creche para poder trabalhar. Ainda assim, Olívia foi utilizando o que restava das economias para manter ela e o filho. A situação ficou insustentável nesta semana, justamente quando conseguiu um local para deixar o menino.

Foi nesta semana que recebeu o comunicado de que uma creche deu sinal positivo para a matrícula do menino, mas nem mesmo isso resolveu o problema. Apesar de ter colocado o endereço do bairro na região Central da cidade, o local encontrado pelo poder público para acolher a criança foi na Vila São José. Ela precisaria de quatro ônibus diariamente para levar e buscar o filho. “Como eu vou conseguir R$18,50 todos os dias para levar ele se estou sem emprego?”, questiona Olívia para logo depois contar que desde o início da semana garante o alimento do menino com uma quentinha diária, a qual dividiu em porções para ele. “Metade da marmita eu dou na hora do almoço e outra metade na janta, e o pouco dinheiro que consegui nesses dias sempre iam para comprar coisas para ele.”

A situação chegou ao limite na quinta-feira, e a única saída que conseguiu encontrar foi ir até o plantão do Conselho Tutelar procurar ajuda. Em prantos, Olívia se despediu do garoto e, ainda soluçando com a separação, falava apenas sobre como seria a noite dos dois separados. “Ele vai dormir sem a mamãe, em quatro anos eu nunca me separei dele.” Mesmo com todas as dificuldades, Olívia se culpava pela decisão drástica. “Eu sei que errei, fiz escolhas que nos prejudicaram, mas rezo todos os dias para que tudo se resolva e a gente possa ficar juntos”, dizia Olívia que tem outra filha de 19 anos que mora com o pai.

Na chegada ao local ela foi atendida pela equipe presente, composta de duas conselheiras tutelares e uma senhora responsável pela limpeza. As dificuldades da rede de acolhimento eram visíveis, já que além da escassez de funcionários, também era possível ver partes do piso solto, fios expostos, entre outros problemas estruturais. Além disso, o fato de ela encontrar apenas o Conselho Tutelar como referência para o atendimento também é apontado como um problema pela Coordenadora do Conselho Tutelar de Porto Alegre, Ana Rangel. “Este é um caso em que a mãe não maltrata a criança, e ela também não está em situação de rua, a Assistência Social do município deveria ter uma forma de acolher ela e o menino. Mas vivemos uma realidade de ausência de políticas públicas.”

Ana diz que este é apenas um dos casos que retratam as dificuldades de atendimento que os conselheiros tem tido nos últimos anos. Segundo ela, o problema começa pelo número de micro regiões, que atualmente são 10 mais o plantão. Segundo ela, para atender a demanda de Porto Alegre seriam necessários 15 conselhos espalhados. A coordenadora reclama da falta de investimento em pessoal, que tem levado os conselheiros a atuar em diversas funções. “Não temos um setor administrativo, então o mesmo conselheiro precisa atender o telefone, prestar atendimento a quem nos procura, entre outras funções, tudo por falta de pessoal.”

Conforme Ana, a conversa com o poder público tem sido infrutífera, e mesmo para contratação de estagiários são colocados empecilhos. “O governo diz que não tem dinheiro ou que os estudantes não tem interesse. Mas, ao mesmo tempo, quem busca um estágio diz não conseguir encontrar vagas. O processo de contratação é bastante moroso. Temos que dar conta para além das nossas funções.” Junto aos problemas de estrutura interno, outra questão recorrente é a insegurança dos conselheiros, que atendem sem qualquer proteção da Guarda Municipal ou de outras forças de segurança. Lidando diariamente com situações de risco, muitas vezes atendendo crianças e adolescentes cujas famílias muitas vezes estão sob a mira de facções ligadas ao tráfico de drogas.

Os problemas levaram o Conselho Tutelar a recorrer ao Ministério Público (MP), que justamente na quinta-feira fazia a segunda da série de vistorias previstas em todos os conselhos da cidade. A promotora da infância e adolescência, Maria Augusta Menz, diz que a série de reclamações fez com que ela decidisse verificar in loco a situação. Ao visitar os locais, classificou como “muito grave a situação e ela tem que ser mudada.” Além da defasagem de pessoal, ela destacou uma série de problemas estruturais nos dois locais visitados, como por exemplo falta de um lugar adequado para o atendimento, espaços sem acessibilidade, entre outros.

Maria diz que até o dia 1º de outubro todos os conselhos da cidade serão visitados, e após isso ela pretende acionar a prefeitura e pedir um termo de ajustamento por parte do Poder Público. Ela garante que não pretende tomar uma atitude mais drástica, como ações judiciais. Na avaliação dela, os problemas podem ser resolvidos de maneira pacífica. “Havendo a vontade política pode mudar e melhorar o atendimento.” 

Enquanto isso, o filho de Olívia será encaminhado a um abrigo municipal, e uma audiência deve ocorrer até a próxima semana. Se ela conseguir mostrar que conseguiu se reorganizar financeiramente e pode cuidar do menino, ele voltará ao convívio materno. Caso contrário, ele seguirá em abrigos até que Olívia esteja reestabelecida.

 

Fonte:CP

Estudos indicam que RS e demais estados ficam na rota de dispersão do vírus

 

Antes da chegada do verão de 2020, pessoas que residem no Sul do Brasil e que não foram vacinadas contra febre amarela devem se imunizar. A recomendação é do Ministério da Saúde (MS). O plano de ação para monitoramento do período sazonal da doença – que registra maior incidência entre dezembro e maio – leva em conta estudos indicando a previsão de potenciais rotas de dispersão do vírus e de ocorrência de casos da doença, além da baixa cobertura vacinal em estados do Sul.

Devem ser vacinados bebês, crianças, adolescentes e adultos entre nove meses e 60 anos incompletos, recomenda o Ministério. “A partir dos 60 anos, a avaliação entre risco e benefício deve ser feita por médico”, exalta o médico da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Juarez Cunha. O esquema previsto no calendário oficial é de uma dose da vacina. Em Porto Alegre, a cobertura vacinal de 2018 ficou em 41,55%. Entre janeiro e julho de 2018, o índice era de 39,4% e, em 2019, no mesmo período, chega a 46,28%.

Na rede municipal, a dose contra febre amarela é oferecida atualmente em 137 salas de vacina instaladas em unidades de saúde. “Não há necessidade de agendamento e o estoque do imunobiológico está normalizado”, explica a enfermeira Renata Capponi, chefe do Núcleo de Imunizações da SMS.

O Ministério orienta, ainda, que a imunização seja priorizada entre a população de área rural, ribeirinha e do entorno de parques e unidades de conservação, trabalhadores rurais, agropecuários, extrativistas e da área do meio ambiente, viajantes para áreas afetadas, seja trabalhadores ou turistas, além daqueles que residem em áreas com confirmação da circulação do vírus.

 

FOnte:CP

Valor total disponibilizado é de R$ 1,4 bilhão e será destinado a 1,6 milhão de beneficiários

 

O abono salarial do calendário 2019/2020 do Programa de Integração Social (PIS ) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), para os beneficiários nascidos em agosto, já está liberado desde essa quinta-feira. Os trabalhadores com inscrição no PIS recebem na Caixa Econômica Federal. De acordo com o banco, o valor total disponibilizado para os nascidos em agosto é de R$ 1,4 bilhão destinado a 1,6 milhão de beneficiários. 

O trabalhador com inscrição no Pasep recebe o pagamento no Banco do Brasil. O dinheiro do benefício pode ser sacado até 30 de junho de 2020 e pode ser consultado, no caso do PIS, pelo Aplicativo Caixa Trabalhador, no site do banco ou pelo telefone 0800 726 0207. 

Os titulares de conta individual na Caixa, com cadastro atualizado e movimentação na conta, recebem o crédito de forma automática. Tem direito ao benefício o trabalhador inscrito no PIS ou no Pasep há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias, em 2018, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. É necessário ainda que os dados estejam corretamente informados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ano-base 2018.  

 

Fonte:CP

O Regional é um site de Entretenimento, Esportes e Alimentos. Aqui você pode obter as últimas notícias da sua região, estado e do mundo inteiro rapidamente.

Contato e-mail

Galeria de Fotos