Policia

Policia (536)

O líder da quadrilha que vinha atacado agências bancárias com explosivos foi morto em confronto na madrugada de sábado em Canguçu, na região Sul do Estado, após assalto à Caixa Econômica Federal. Conhecido como Fofão ou Mortadela, de 32 anos, ele estava foragido do sistema prisional gaúcho desde o dia 31 janeiro do ano passado e tinha condenação de 90 anos, 11 meses e 10 dias.

Além de Canguçu, o bando dele agiu somente este ano contra as agências do Bradesco de Encruzilhada do Sul e Cerro Grande do Sul, além do Banco do Brasil, Banrisul e Caixa Econômica Federal de Butiá.

Por volta da 1h de sábado, a quadrilha de Fofão invadiu a Caixa Econômica Federal de Canguçu. Os caixas eletrônicos foram detonados. Durante a ação foram desferidos diversos disparos em direção ao posto da Brigada Militar, ocorrendo troca de tiros com os policiais militares. Uma Ford Ranger foi incendiada no local para impedir a saída de viaturas da BM.

Na fuga o bando tentou ainda, sem sucesso, queimar um Renault Duster que foi deixado em frente da Subestação da CEEE. A quadrilha prosseguiu em um Ford Focus em direção à BR 392, onde o veículo foi abandonado. Em um posto de combustíveis ocorreu então um confronto com seguranças do estabelecimento comercial. No tiroteio, o líder do bando foi morto.

A Brigada Militar e a Polícia Rodoviária Federal realizaram buscas ao restante da quadrilha na região. A agência da Caixa Econômica Federal, parcialmente destruída, ficou isolada para a perícia da Polícia Federal, sendo mobilizado o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) do 1º Batalhão de Operações Especiais (1ºBOE) da BM para fazer uma varredura no local. A equipe do Gate também foi acionada para vistoriar o Ford Focus e o Renault Duster já que tinham explosivos nos veículos.

Fofão ou Mortadela tinha vínculo com os “Irmãos Lopes”, que foram presos no final de novembro de 2017 em uma propriedade rural de El Soberbio, na Argentina. Na ocasião, a dupla portava fuzil, pistola, munição e coletes balísticos. A região teria sido escolhida como refúgio deles por abrigar muitos gaúchos do Vale do Taquari. Os dois irmãos, naturais de Lajeado, foram apontados na época como responsáveis por 12 ataques a bancos, ocorridos em Progresso, Pouso Novo, Boqueirão do Leão, Espumoso, Boa Vista do Buricá, Encruzilhada do Sul, Progresso, Gramado Xavier, Bom Retiro do Sul, Espumoso, Tabaí, São José Herval. Em julho passado, as autoridades argentinas impediram o resgate dele por integrantes da organização criminosa que mantinha então um esconderijo em Veranópolis.

Fonte: CP

Um homem de 37 anos morreu, nessa madrugada, atingido com um tiro disparado pela Brigada Militar em Farroupilha, na Serra. Segundo a BM, os PMs foram acionados para conter um suspeito que tentou invadir uma residência pela porta do segundo andar na rua Alécio Cauduro, bairro Industrial.

De acordo com a BM, os policiais deram a ordem para ele descer mas o criminoso negou e continuou tentando entrar na residência. No segundo pedido, o homem sacou uma arma e apontou para os militares, que reagiram e atiraram uma vez. Marcio José Kosvoski morreu  na hora.

Fonte: CP

O Ministério Público de Coronel Bicaco teve deferido um pedido de liminar em ação movida contra um professor da rede pública estadual. De acordo com a denúncia, ele vinha assediando, inclusive em sala de aula, alunas na faixa de 10 anos de idade.

A Justiça acatou o pedido e determinou o afastamento do professor das funções, especificamente quanto ao magistério a crianças e adolescentes enquanto durar a tramitação do processo, sem prejuízo de ganho de salário.

A Promotoria de Justiça de Coronel Bicaco já havia denunciado o professor pela prática da contravenção penal de importunação ofensiva ao pudor.

O caso também chegou à 21ª Coordenadoria Regional de Educação, que abriu sindicância para apurar a conduta do professor. Alunas e outras testemunhas confirmaram os relatos de abuso, mas o órgão sugeriu suspender o professor da sala de aula por 45 dias. Com isso, o MP ajuizou a ação, que pede, inclusive, a demissão do cargo público. O mérito do processo ainda precisa ser examinado.

 

A Brigada Militar atendeu, no final da tarde de quinta-feira (12), uma tentativa de homicídio, em Santa Maria. Por volta das 18h15min, uma Guarnição da BM foi encaminhada ao Pronto Atendimento do Patronato para verificar a entrada de um homem atingido por disparo de arma de fogo.

Foi constatado que o homem, identificado como Miguel Ibanes de Abreu, de 52 anos, teria sofrido uma tentativa de homicídio, realizada pelo próprio sobrinho, identificado como Felipe Silva de Abreu, com idade não mencionada.

Segundo a Brigada Militar, Miguel teria ido buscar um martelo na casa do sobrinho, no bairro Alto da Boa Vista, quando sofreu o disparo de arma de fogo. A vítima foi transferida para atendimento no Hospital Universitário de Santa Maria devido à complexidade do caso.

Fonte: Rádio Medianeira

No início da tarde de quarta-feira (4) a PRF prendeu um homem de 55 anos natural de Santa Maria que estava foragido do sistema prisional.

Os PRFs receberam uma ligação pelo 191 informando a existência de uma pessoa sobre a ponte do Vale do Menino Deus no Km 317 da BR 158, divisa entre Santa Maria e Itaara. O homem estaria em atitude incomum para o local. Os policiais rodoviários federais foram rapidamente até o local e ao abordar o pedestre e realizar a identificação verificou-se que ele era um foragido do sistema prisional.

O homem foi encaminhado a polícia judiciária e posteriormente ao sistema prisional.

Já está na Penitenciária Estadual de Rio Grande o médico condenado por abuso sexual. Conforme o delegado Roberto Sahagoff, o homem de 68 anos foi preso na tarde dessa terça-feira em seu consultório no centro de Rio Grande, no Sul do Estado. O homem não apresentou resistência ao ser preso. Ele foi condenado a quatro anos e 3 meses de reclusão em regime semiaberto por violação sexual mediante fraude.

Os dois casos ocorridos em 2013 foram no consultório do médico. “Ele ainda responde a outro processo, ainda não julgado, por fato semelhante ocorrido em 2016 no hospital da Furg. O médico não usava violência ou grave ameaça. Ele enganava e simulava exames para tocar nas partes intimas das vítimas”, relata. A defesa do médico foi procurada mas ainda não se manifestou sobre o caso. 

Fonte: CP

Dois casos de exposição de imagens íntimas de mulheres na internet foram enquadrados na Lei Maria da Penha, por se tratar de violência moral. Um morador de Uberlândia, em Minas Gerais, foi condenado a indenizar em R$ 75 mil sua ex-namorada por divulgação de fotos. Já em Cuiabá, no Mato Grosso, a Justiça concedeu medidas protetivas de urgência a uma jovem de 17 anos que teve um vídeo íntimo publicado em um site pornográfico internacional por seu ex-namorado.

De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os vazamentos de imagens íntimas têm sido vistos como uma das formas mais recentes e cruéis de violência de gênero, praticada contra meninas e mulheres. No Brasil, os casos, em geral, tramitam nas varas especializadas de violência doméstica, mas não há levantamento que permitam chegar ao número de ocorrências.

“Esse é um crime novo e que vulnerabiliza a mulher. Muitas acabam sequer denunciando o autor. O que é uma pena, já que é preciso ficar claro para a sociedade que ela não tem culpa alguma daquilo. É um crime típico de uma sociedade machista”, diz o superintendente da Escola Judicial do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Wagner Wilson Ferreira, relator de um desses processos ocorridos em Minas.

Ferreira explica que a forma de reparação de um dano moral é uma questão complexa, uma vez que atinge todos os níveis de relacionamento da mulher, como a família, o ciclo social e as relações de trabalho. “É um crime praticamente irreparável, mas, como precisamos transformar a pena em indenização pecuniária, o valor não deveria ser irrisório. Claro que é preciso respeitar o nível de renda de cada um, mas precisa ter um impacto pedagógico”, diz o magistrado, que em um caso de disseminação indevida de material digital íntimo, conseguiu evitar que a indenização fosse arbitrada em apenas R$ 5 mil.

ONG Marias da Internet

A jornalista Rose Leonel, 47 anos, teve sua vida virada do avesso quando, há 12 anos, foi vítima da chamada pornografia de revanche por um ex-namorado, em Maringá (PR). Além de perder o emprego, ela se sentiu obrigada a mandar seu filho morar com o pai no exterior, para que o menino, na época com 12 anos, não sofresse toda ordem de humilhações e traumas.

Rose transformou a dor em luta. Fundou, em 2013, a ONG Marias da Internet, voltada para o acolhimento e a orientação de mulheres que passam pela mesma situação. No primeiro ano de funcionamento, a ONG realizou, em média, três atendimentos mensais. Atualmente, chega a atender nove casos por mês.

Fonte: CP

 

A Polícia Civil de Santa Maria cumpriu um mandado de busca e apreensão, na tarde desta segunda-feira (02), em uma casa de jogos de azar, localizada no Centro de Santa Maria.

De acordo com a PC, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em um local de exploração de jogos ilegais, na Rua Barão do Triunfo.

Na ação, os policias da 3ª e 4ª Delegacia de Polícia, apreenderam 60 CPU’s e uma “pipoqueira”, equipamento utilizado para a prática do jogo de bingo. Esta é a segunda vez no ano em que o mesmo local é alvo de mandado de busca e apreensão.

Fonte: Rádio Medianeira

A morte do menino Lázaro Augusto Fernandes Peres, de oito anos, fato ocorrido por volta das 12h30 do último dia 19, no pátio de uma residência de um amiguinho, na Rua Dom Pedrito, no bairro Caturrita, foi acidental.

O menino morreu vítima de um disparo de arma de fogo, que lhe atingiu o rosto, enquanto brincava com o coleguinha, de nove anos de idade. O inquérito foi concluído na tarde desta sexta-feira (29) e será remetido à Justiça.

Nele, a delegada Luiza Souza aponta o menino de nove anos como autor do disparo acidental. Ele confessou que atirou sem querer em Lázaro e depois, enquanto mostrava a arma.

Após o disparo, o menino arrastou o corpo de Lázaro pelos pés até o pátio da residência e usou panos para limpar o sangue no interior da casa. Segundo a delegada, ele mentiu com medo dos pais serem presos.

O menino será encaminhado ao Conselho Tutelar para medidas protetivas. O pai do garoto acabou sendo preso por porte ilegal de arma, visto que o revólver tinha registro de furto.

Fonte: Rádio Medianeira

Um piloto de 46 anos morreu, neste domingo, durante a realização de um evento de motovelocidade em Candiota, na região da Campanha. O acidente fatal, cujas circunstâncias ainda não se esclareceram, ocorreu durante a Copa ACPM de Veloterra, sediada pela primeira vez no município. A vítima foi identificada como Cézar Freitas da Silva.

A competição foi paralisada após o acidente. O homem, morador de Pelotas, chegou a ser encaminhado para o Pronto Atendimento de Candiota, mas já chegou sem vida ao hospital.