Última etapa de um ambicioso projeto do governo do Uruguai para regular o uso recreativo da maconha, a venda do produto nas farmácias encontra obstáculos para se manter. Grande parte dos estabelecimentos habilitados à venda pediu o descredenciamento ao Instituto de Regulación y Control del Cannabis (Ircca) depois que bancos apresentaram restrições às empresas que comercializassem o produto.

 

Enquanto o governo uruguaio busca uma solução legal para o impasse, as outras duas vias de consumo previstas na lei que regulou a maconha, o autocultivo e os clubes canábicos, seguem ganhando adeptos. Ao mesmo tempo, a lei sancionada em 2013 pelo então presidente José Mujica é questionada no parlamento uruguaio.

 

• Autocultivo de maconha no Uruguai é opção para usuários

 

Em Artigas, município mais populoso do extremo-norte uruguaio, e que faz divisa com a cidade gaúcha de Quaraí, a única farmácia que foi autorizada a comercializar a maconha suspendeu as vendas em setembro. Localizada na região central da cidade, a poucos minutos da Ponte Internacional da Concórdia, o pequeno estabelecimento recebeu os novos clientes durante pouco mais de um mês. De início, o casal de proprietários Luis Carlos Xavier e Kelsey Irache se mostrou reticente com a lei que previa a regulação da maconha. “Tínhamos a cabeça ‘feita’, estigmatizávamos o consumidor”, afirma ele.

 

Suave, mas não duvidosa

 

Se por um lado os consumidores consideravam que a maconha vendida na farmácia era mais “suave”, por outro, sabiam que sua procedência não era duvidosa. “Muita gente nos agradeceu o fato de não ter de recorrer às ‘bocas’ de venda”, comenta Luis Carlos. O perfil do público, diferente daquele imaginado inicialmente, surpreendeu os proprietários. Entre eles estavam desde jovens (maiores de idade) acompanhados dos pais até idosos na faixa dos 80 anos. “O período foi bom porque nos permitiu abrir a cabeça, ao ver que as pessoas que consumiam não eram aquelas que estavam sendo estigmatizadas”, acrescenta o comerciante.

 

• Regulação do uso de maconha no Uruguai não é pacífica

 

Todos os adquirentes estão cadastrados no Ircca e eram identificados, na farmácia, por um sistema que reconhece a impressão digital do usuário, mecanismo que, no começo, provocou a desconfiança de muitos consumidores. As vendas ocorrem somente com dinheiro e cada pessoa pode adquirir até 40 gramas por mês. O casal não descarta retomar a venda da maconha no futuro, mas lamenta a atitude do governo uruguaio em relação ao caso.

 

Lei criada durante mandado de Mujica 

 

A lei foi criada durante o mandato de José “Pepe” Mujica (2010-2015), mas a venda nas farmácias teve início na gestão Tabaré Vázquez, que em 2015 assumiu a presidência pela segunda vez. Embora ambos sejam do mesmo partido, o esquerdista Frente Ampla, há quem veja uma mudança de postura do governo com relação à maconha. “Ninguém saiu a defender o propósito da lei”, queixa-se Xavier, sobre o imbróglio com os bancos. “Não houve vontade política. A lei enfocava o combate ao narcotráfico, mas também havia o componente da saúde pública, e o governo não defendeu isso”, resume.

 

Os entraves encontrados pelas farmácias contrastam com a euforia percebida nos primeiros dias de venda do produto, em julho deste ano. Em Montevidéu, usuários cadastrados esgotaram o estoque de quatro farmácias durante o primeiro dia de comercialização. Alguns destes estabelecimentos registraram longas filas na porta de entrada antes de a venda ser iniciada. As duas variedades colocadas no mercado pelo governo uruguaio, chamadas de Alfa I e Beta I, contam com uma porcentagem de 2% de tetrahidrocanabinol (THC), componente psicoativo da planta. Em cada embalagem, de cinco gramas do produto, há recomendações ao usuário.

 

Problemas com setor bancário 

 

A venda nas farmácias começou a enfrentar problemas em meados de agosto deste ano, quando o setor bancário informou que não iria trabalhar com estabelecimentos que estivessem relacionados à produção e à venda de maconha. Uma das alternativas discutidas pelas farmácias, à época, foi a abertura de contas em cooperativas de poupança e crédito ou em redes de cobranças de contas, porém a iniciativa não evoluiu.

 

Além dos bancos internacionais, o estatal Banco República somou-se à restrição. A postura é justificada pelo fato de a maconha ser criminalizada internacionalmente, de modo que as normas financeiras de outros países impedem a relação e o recebimento de dinheiro proveniente da sua venda. Hoje, 12 farmácias estão habilitadas a realizar a venda, segundo o Ircca, sendo que cinco delas estão localizada em Montevidéu. Em julho, eram 16 estabelecimentos registrados e havia a expectativa de que o número se ampliasse.

 

O ex-presidente e hoje senador José Mujica chegou a declarar que as autoridades econômicas do atual governo deveriam renunciar se não encontrarem uma solução para o problema. Foi durante o governo de Mujica que o Uruguai publicou a lei 19.172 de dezembro de 2013, que legalizou a produção, distribuição e venda da maconha no pequeno país de 3 milhões de habitantes, por meio de três modalidades excludentes entre si. Ou seja, não é permitido ter acesso à substância por mais de uma via.

Fonte: CP

Mais de 20 mortos em tiroteio de Las Vegas

Segunda, 02 Outubro 2017 11:04

Mais de 20 pessoas morreram no domingo à noite quando um homem, que foi morto pela polícia, abriu fogo contra

uma multidão que assistia a um festival de música country em Las Vegas. O autor do massacre atirou do 32º andar do hotel Mandala Bay, localizado na avenida central Strip, onde acontecia a terceira e última noite de um festival de música country.

"Temos mais de 100 feridos e mais de 20 mortos no momento", afirmou o xerife Joseph Lombardo em uma entrevista coletiva, durante a qual indicou que as autoridades acreditam que o ataque foi cometido por apenas uma pessoa. O atirador iniciou o ataque pouco depois das 22H00 locais (2H00 de Brasília). Lombardo indicou que a polícia matou o criminoso, que as autoridades acreditam que era um morador da cidade, no quarto de hotel e que procura a mulher que o acompanhava para um interrogatório. "Temos dois policiais que estão no hospital, um em estado crítico, o outro com ferimentos leves", disse.

 

O cantor Jason Aldean, que conseguiu escapar, estava no palco quando os espectadores ouviram as primeiras rajadas de tiros. Em poucos segundos a música parou de tocar, segundo um vídeo divulgado nas redes sociais. No vídeo, uma mulher fala "abaixa, fica abaixado" pouco depois da interrupção da música e um clima de confusão domina o local. Menos de um minuto depois é possível ouvir novos disparos. "Esta noite vai além do horrível. Ainda não sei o que dizer, mas gostaria de informar a todos que minha equipe e eu estamos seguros. Meus pensamentos e orações vão para todos os afetados esta noite. Meu coração está partido que isto tenha acontecido com qualquer pessoa que estava aqui para ter uma noite divertida", escreveu Aldean no Instagram.

 

Em maio, um atentado com bomba na saída de um show da cantora Ariana Grande em Manchester, Inglaterra, deixou 22 mortos e 116 feridos.

 

Fogos de artifício 

 

Muitas pessoas pensaram, em um primeiro momento, que o barulho era provocado por fogos de artifício. Damon Leach afirmou ao canal CNN que os tiros duraram "muito tempo". "Nos escondemos atrás de lixeiras, de qualquer coisa. Cada vez que escutávamos um tiro nos escondíamos".

 

Uma mulher identificada apenas como Christie declarou à emissora KLAS que ao ouvir os tiros correu com o marido para o carro. Quando chegaram ao estacionamento, encontraram um homem ferido, que pediu ajuda. O casal levou algumas pessoas para o hospital. 

 

A polícia fechou grande parte da Las Vegas Strip, a avenida onde ficam os principais hotéis-cassinos da cidade, e as autoridades pediram às pessoas que não transmitissem ao vivo ou compartilhassem (nas redes sociais) a posição dos agentes no local. O aeroporto de Las Vegas desviou vários voos após o incidente. "É uma noite triste para Las Vegas", escreveu a prefeitura no Twitter.

 

O tiroteio aconteceu sete meses após uma ação similar que deixou um morto e um ferido na mesma Las Vegas Strip.

O site Gun Violence registra uma estatística de 272 grandes tiroteios nos Estados Unidos no decorrer do ano, sem considerar o de domingo.

Fonte: CP

"Senhores, podem trocar as alianças": a Alemanha se torna neste domingo o décimo quinto país europeu a permitir o casamento homossexual, lei aprovada por Angela Merkel após anos de oposição. No dia 1º de outubro entra em vigor de uma lei nesse sentido promulgada em julho passado. E neste domingo, recorrendo a essa fórmula para os homossexuais, várias prefeituras do país celebrarão suas primeiras uniões.

 

Embora no domingo seja feriado, várias prefeituras como as de Berlim, Hamburgo e Frankfurt permanecerão abertas para a ocasião. "É um dia que deve ser celebrado à altura de sua importância", afirmou Knut Mildner-Spindler, vice-prefeito de Friedrichshain-Kreuzberg, bairro da moda da capital alemã. Em Berlim, Bodo Mende e Karl Kreile, casal gay que ficou famoso por ter sido o primeiro a fazer um contrato de união civil, também serão os primeiros a se casar.

As primeiras bodas serão realizada em um clima pacífico, apesar da oposição da direita nacionalista da AdF, que obteve resultados históricos nas eleições legislativas. O partido é atualmente codirigido por uma lésbica militante, Alice Weidel, mãe de dois filhos adotados.

 

Alemanha se soma à Europa

 

"Finalmente, nosso país se soma ao resto da Europa!", comemora Joerg Steinert, da Associação de Gays e Lésbicas, que considera a "medida muito simbólica". A lei sobre casamento homossexual votada em 30 de junho modificou o Código Civil ao definir o matrimônio como uma "união entre duas pessoas, de sexo diferente ou idênticos".

 

Concretamente, os casais homossexuais que desejam oficializar sua união se beneficiarão dos mesmos direitos que os casais heterossexuais: em termos de impostos, mas sobretudo com a possibilidade de adotar filhos. A mudança legislativa é o resultado de longos anos de combate da comunidade LGTB. Respaldada principalmente pelos Verdes, a Associação alemã de gays militava desde 1990 em favor do casamento homossexual.

 

"Ganhamos uma batalha em 2001 com a aprovação da união civil contra a posição da Igreja protestante, abrindo uma primeira brecha na instituição matrimonial", disse Steinert. Nos anos seguintes, as diferenças tributárias entre casais com união civil e as casadas foram se atenuando. Atualmente, mais de 75% dos alemães são favoráveis ao casamento homossexual, segundo as pesquisas.

 

Entretanto, as opiniões não são unânimes. Durante muito tempo, Angela Merkel adiou a decisão para não se opôr à ala mais conservadora de sua formação política, o partido social-cristão bávaro CSU, muito apegado a valores familiares tradicionais.

 

Merkel ambígua

 

Paradoxalmente, foi a religião que abriu caminha para o avanço atual: sem o apoio da Igreja protestante, que há anos já havia decidido celebrar casamentos homossexuais religiosos em algumas regiões, (o processo) poderia ter sido mais longo", avalia Steinert. Foi a proximidade das eleições legislativas de setembro o que precipitou a aprovação do casamento homossexual.

 

Inicialmente oposta a essa lei, Angela Merkel surpreendeu em junho passado ao autorizar a seus deputados a pronunciar-se em função de suas próprias convicções, tirando de seus rivais social-democratas a possibilidade de usar o tema como arma eleitoral.

 

Dias mais tarde, os representantes de esquerda social-democratas, ecologistas e a esquerda radical tomaram-lhe a palavra e submeteram à votação um projeto de lei sobre casamento homossexual que estava bloqueado no Parlamento desde há anos. O texto foi aprovado por ampla maioria, com o respaldo de uma parte dos representantes conservadores também partidários da medida.

 

Merkel votou contra, explicando que para ela, "o matrimônio é, segundo a nossa Constituição, a união de um homem e uma mulher".

Fonte: CP

Beate Zschaepe é suspeita de participar de 10 assassinatos racistas e dois atentados com explosivos contra comunidades estrangeiras

 

A Promotoria de Munique solicitou nesta terça-feira uma pena de prisão perpétua para Beate Zschaepe, a única sobrevivente de um pequeno grupo neonazista acusado de crimes racistas, em um caso que provocou grande comoção na Alemanha. Este é um dos maiores julgamentos na Alemanha do pós-guerra.

 

A Promotoria descartou a possibilidade de que a acusada, que nega a participação nos crimes, possa ser beneficiada por uma pena mais clemente. Zschaepe, de 42 anos, começou a ser julgada em maio de 2013 por suposta participação em 10 assassinatos racistas e dois atentados com explosivos contra comunidades estrangeiras entre os anos de 2000 e 2007. Também foi acusada de participação, no mesmo período, em 15 assaltos executados pelo pequeno grupo chamado Clandestinidade Nacional Socialista (NSU). Os outros dois integrantes do NSU eram Uwe Mundlos e Uwe Boehnhardt.

 

 

Em 2011, os dois homens foram encontrados mortos a tiros, no momento em que a polícia estava prestes a prender a dupla. As autoridades acreditam que eles cometeram suicídio ou que um deles matou o cúmplice, antes de dar um tiro em si mesmo. Zschaepe passou vários anos escondida com Mundlos e Boehnhardt, que assassinaram oito pessoas de origem turca, um migrante grego e uma policial alemã.

 

 

O caso gerou uma forte comoção na Alemanha, já que o pequeno grupo conseguiu permanecer ativo de forma impune durante anos, o que revelou as falhas dos serviços internos de inteligência. Em setembro 2016, Beate Zschaepe rompeu o silêncio após mais de três anos de julgamento e disse que "não tinha mais simpatia pela ideologia nacional-socialista". "Eu não julgo mais as pessoas em função de suas opiniões ou origens, e sim de acordo com suas ações", disse.

 

Fonte:CP

Moradores avaliam danos nos Estados Unidos e no Caribe

 

A tempestade Irma, que deixou um rastro mortal em Cuba e no Caribe, perdeu força na segunda-feira, mas continuava afetando o sudeste dos Estados Unidos, onde provocou "devastação" nas Florida Keys e inundações em Jacksonville. O número de mortos após a passagem de Irma - rebaixado para tempestade tropical - chega a ao menos 40, após os 10 falecidos em Cuba no fim de semana e de outros 27 reportados em várias ilhas caribenhas e uma vítima fatal no Haiti. Outras duas pessoas morreram em acidentes de trânsito provocados por Irma na Flórida, detalharam as autoridades, após informarem inicialmente três vítimas.

 

No Caribe, os residentes tentavam voltar à normalidade apesar dos enormes danos de infraestrutura, enquanto os Estados Unidos, França, Holanda e Reino Unido buscavam ajudar seus territórios de ultramar, gravemente afetados. Os habitantes da Flórida começaram na segunda-feira a avaliar os danos em suas propriedades, que pareciam inicialmente menores que o esperado.

 

 

O panorama é espetacular, mas não catastrófico, disse à AFP Roberto Cuneo, de 41 anos, morador de Miami Beach que decidiu não deixar sua casa e observou ruas inundadas com até 30 cm de água e palmeiras derrubadas pelo vento. No extremo sul da Flórida o panorama era muito diferente. O acesso às Keys estava fechado. Após sobrevoar a área, o governador Rick Scott disse que a zona tinha ficado "devastada" e os estacionamentos de trailers destruídos. Cerca de 6,5 milhões de pessoas continuavam sem eletricidade na Flórida, apontou.

 

 

Em "fase de recuperação"

 

Irma avançava sobre a Flórida na direção norte-noroeste, com a previsão de um giro para o noroeste na terça-feira. Os ventos tinham diminuído para 85 km/h e se projetava um enfraquecimento contínuo da tempestade até chegar a depressão tropical. Segundo os meteorologistas, o olho de Irma continuará se movendo sobre o sudoeste da Geórgia na noite de segunda-feira, e se moverá em direção ao Alabama na terça-feira.

 

Cerca de 6,3 milhões de pessoas no sudeste dos Estados Unidos foram ordenados a evacuar a zona devido ao furacão, que provocou um dos maiores êxodos da história do país. Como estava previsto, Irma atingiu no domingo de manhã as Florida Keys, um conjunto de ilhas ao sul da península, como furacão de categoria 4 (em uma escala de 5), e à tarde voltou a tocar terra em Marco Island (oeste), mas com categoria 2.

 

Miami, a maior cidade americana na trajetória do Irma, amanheceu nesta segunda-feira com ramos, escombros e letreiros em suas ruas, especialmente no centro e no distrito financeiro de Brickell, cujo passeio costeiro foi invadido pelas águas. "Estamos agora em uma fase de recuperação", disse o prefeito de Miami-Dade, Carlos Giménez. "Mas nos salvamos da pior parte da tempestade", acrescentou.

 

Ajuda internacional

 

Enquanto os residentes começavam a revisar suas casas, as autoridades advertiram sobre linhas elétricas derrubadas, esgoto sem tratamento e fauna deslocada, como serpentes e jacarés. Em Bonita Springs, na costa sudoeste da Flórida, duramente impactada pelo Irma, grandes áreas estavam inundadas e a cidade continuava sem energia elétrica. Alguns tentavam chegar às suas casas caminhando com água pela cintura, enquanto outros remavam em canoas.

 

O presidente americano, Donald Trump, que prometeu viajar à Flórida "muito em breve", aprovou a declaração de catástrofe natural, que permite desbloquear fundos federais de ajuda aos afetados. No entanto, o custo estimado dos danos foi revisado para baixo nesta segunda-feira, de cerca de 100 bilhões de dólares para entre 20 e 40 bilhões, após o furacão mudar de trajetória sem impactar diretamente a rica costa leste da Flórida. "Nosso cenário catastrófico não se concretizou", disse o especialista na indústria de seguros Shahid Hamid.

 

Cuba, fortemente atingida durante 72 horas pelo vento, as chuvas e as marés de tempestade (elevação do mar associada ao fenômeno climático) de Irma, o furacão mais mortífero desde Dennis, em 2005, começou o árduo trabalho de quantificar danos e reabilitar sua danificada infraestrutura de serviços. O impacto no turismo ainda não foi avaliado, mas a destruição que a tempestade deixou em sua passagem poderia afetar gravemente uma economia que depende em grande medida dos quase três bilhões de dólares que o setor registra por ano.

 

 

O Panamá iniciou a distribuição de pelo menos 90 toneladas de ajuda humanitária a Saint Martin - ilha devastada pelo furacão - e Cuba, enquanto a Venezuela - país que enfrenta uma grande crise econômica - enviou 30 toneladas de alimentos, água potável e outros produtos a Cuba e várias ilhas do Caribe afetadas pelo Irma. O Unicef informou que avalia os danos em Cuba para enviar ajuda o mais rápido possível

 

Fonte:CP

Prefeito belga é encontrado degolado

Terça, 12 Setembro 2017 10:48

Corpo de Alfred Gadenne, 71 anos, foi encontrado em um cemitério da cidade de Mouscron

 

 

O prefeito de Mouscron, cidade belga próxima à França, foi encontrado degolado nesta segunda-feira em um cemitério da cidade, revelou a imprensa local. A informação foi confirmada à agência de notícias Belga pelo procurador real de Mons, Christian Henry, que relatou a prisão de um suspeito.

 

O corpo de Alfred Gadenne, 71 anos, foi encontrado no cemitério situado diante de sua residência. Membro do Centro Democrata Humanista (CDH, centro direita), Gadenne era prefeito de Mouscron desde 2006.

 

Várias personalidades políticas belgas homenagearam o prefeito no Twitter, incluindo o premier Charles Michel. "Soube com horror da morte de Alfred Gadenne. Minha solidariedade para com sua família e amigos", escreveu Michel.

 

Fonte:CP

Intimidação ocorreu após os EUA pedirem a ONU a endurecer suas sanções contra o país após teste nuclear

 

A Coreia do Norte advertiu nesta segunda-feira aos Estados Unidos que lhe infligirá "o maior dos sofrimentos" se Washington prosseguir exortando a ONU a endurecer suas sanções contra Pyongyang após seu sexto teste nuclear.

 

Em comunicado reproduzido pela agência oficial KCNA, o ministério norte-coreano das Relações Exteriores adverte que se Washington "aplicar esta resolução ilegal sobre um endurecimento das sanções, a Coreia do Norte garantirá que os Estados Unidos paguem o preço".

 

 

"As medidas que adotarão vão causar aos Estados Unidos o maior dos sofrimentos e dores de toda a sua história". "O mundo será testemunha de como a Coreia do Norte dobra os gângsteres americanos lançando uma série de ações mais duras do que se possa imaginar".

 

Os Estados Unidos pediram formalmente na sexta-feira que o Conselho de Segurança da ONU vote na próxima segunda novas sanções contra a Coreia do Norte. O projeto de resolução americano prevê um embargo sobre o petróleo, impedir a importação têxtil norte-coreana, congelar bens do líder Kim Jong-Un, expulsar cidadãos norte-coreanos que vivem no exterior e inspecionar navios suspeitos em alto mar.

 

 

O último teste nuclear norte-coreano ocorreu em 3 de setembro, após Pyongyang lançar 14 mísseis balísticos no decorrer de 2017, dois deles intercontinentais.

 

Fonte:CP

Pontífice bateu o rosto no Papamóvel durante uma freada brusca do veículo

 

O papa Francisco sofreu um pequeno acidente na cidade de Cartagena das Índias, onde encerra sua passagem pela Colômbia. Segundo informações da agência de notícias argentina Télam, Francisco machucou-se ao bater o rosto no vidro do Papamóvel, durante uma freada brusca do veículo, e precisou aplicar gelo.

 

De acordo com o porta-voz do Vaticano, o papa passa bem. A passagem por Cartagena é a última antes de Francisco voltar a Roma. O papa iniciou as atividades deste domingo visitando uma casa de acolhimento a pessoas sem teto e vítimas de tráfico de pessoas. No início da tarde, o papa visitou o Santuário São Pedro Claver, dedicado ao missionário espanhol que defendia os direitos dos escravos em uma das mais antigas cidades da Colômbia.

 

 

Segundo a Rádio Vaticano, no santuário, Francisco rezou a oração do Angelus e voltou a conclamar os fiéis à prática da caridade e do apoio aos mais pobres e humildes. Ele também dedicou parte das orações à Venezuela e aos venezuelanos que precisam emigrar para países vizinhos.

 

"Expresso a minha proximidade a cada um dos filhos e filhas desta amada nação, e também aos venezuelanos que encontraram guarida nesta terra colombiana. Daqui, desta cidade-sede dos direitos humanos, faço apelo para que se rejeite todo tipo de violência na vida política e se encontre uma solução para a grave crise que se está a viver e afeta a todos, especialmente aos mais pobres e desfavorecidos da sociedade", afirmou.

 

Ainda neste domingo, no fim da tarde, Francisco celebra missa no Porto de Contecar, em cerimônia que marcará a despedida dele da Colômbia.

 

 

 

 

 

Fonte:CP

32 pessoas aguardam resgate

 

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) vai resgatar brasileiros que se encontram na Ilha de São Martinho, no Caribe, na próxima terça-feira. A ilha foi uma das mais atingidas pelo Furacão Irma e, segundo o Itamaraty, tem 32 brasileiros neste momento – sendo 30 em Saint Maarten (lado holandês da ilha) e dois em Saint Martin (lado francês).

 

De acordo com nota divulgada neste domingo pelo Itamaraty, o governo brasileiro já identificou que há mais 22 brasileiros na Ilha de Tortola e 11 em Turcas e Caicos, que são territórios britânicos. No entanto, o aeroporto de Tortola não tem condições de aterrissagem após a passagem do Irma.

 

 

Por isso, o Ministério de Relações Exteriores brasileiro está em contato com França, Países Baixos e Reino Unido para “averiguar se estaria sendo elaborado plano de socorro e evacuação dos nacionais nas respectivas ilhas, no intuito de verificar a possibilidade de inclusão de brasileiros naquelas operações”. “Com efeito, alguns brasileiros, que se encontravam em regiões determinadas, já receberam apoio ou lograram ser retirados das ilhas graças à cooperação daqueles países”, informa o Itamaraty.

 

As três ilhas não têm rede de atendimento consular brasileiro, por isso, as tratativas estão sendo feitas pelas embaixadas na Europa. Apesar disso, o Itamaraty informa que montou um núcleo de atendimento emergencial em Brasília e uma rede de comunicação em tempo real com os postos consulares nestes países para reunir as informações sobre brasileiros afetados pela catástrofe.

 

“Até o momento, o núcleo de atendimento e os postos no exterior já receberam centenas de ligações e mensagens de brasileiros que se encontram nas regiões afetadas e de seus familiares e amigos. Graças a esta rede de contatos, vêm sendo superadas as dificuldades de comunicação causadas pela interrupção das linhas em algumas regiões e, sobretudo, pela inexistência de postos da rede consular brasileira, de carreira ou honorários, nas três ilhas”, acrescenta a nota.

 

Danos e mortes

 

Ainda de acordo com as informações do Itamaraty, as três ilhas sofreram “colapso total ou parcial da infraestrutura de transportes, comunicações e abastecimento”.

 

Em sua passagem pelo Caribe, o Furacão Irma deixou pelo menos 25 mortos, além de mais três em sua chegada à Flórida neste domingo. No entanto, as perdas humanas podem ser maiores, uma vez que os países atingidos estão em grande parte sem comunicação, o que pode ter provocado a subnotificação das mortes.

 

 

Antes de chegar aos Estados Unidos e perder força, o Irma passou por Cuba ontem deixando inundações severas em Havana e Varadero, informou a Agência EFE. Ainda segundo a EFE, em Porto Rico, onde o furacão passou há três dias, 66% do serviço de fornecimento de energia já foi restabelecido.

 

Fonte:CP

Vestígios de substância à base de TATP foram encontrados pela Polícia em um laboratório do grupo destruído.

 

A célula extremista responsável pelos atentados em Barcelona preparava uma bomba muito mais letal feita à base de TATP, explosivo usado pelo Estado Islâmico (EI) e chamado de "a mãe de Satã". Vestígios dessa substância foram encontrados pela Polícia em um laboratório do grupo destruído por uma deflagração. Detalhes dos preparativos dessa célula foram divulgados nessa terça-feira pelo juiz madrileno que indiciou dois dos quatro membros do grupo ainda vivos, acusados de "assassinatos terroristas" e "posse de explosivos".

 

Sob os escombros de uma casa que explodiu no último dia 16 em Alcanar, 200 quilômetros ao sul de Barcelona, os investigadores encontraram 120 botijões de gás, "500 litros de acetona, água oxigenada e bicarbonato, uma grande quantidade de pregos, que seriam usados como metralha, e detonadores para deflagrar a explosão". A Polícia diz dispor de indícios, provando que a célula fabricava "peróxido de acetona, ou TATP, frequentemente usado pela organização terrorista Daesh (acrônimo do Estado Islâmico em árabe) em suas ações terroristas, como nos atentados de Paris e de Bruxelas".

 

Em 1º e 2 de agosto de 2017, eles compraram pelo menos 500 litros de acetona, o principal composto do TATP, assim como "componentes necessários à confecção de artefatos explosivos". A bomba foi apelidada de "mãe de Satã" pelos grupos radicais, que publicaram on-line vários manuais, com fotos e desenhos, além de vídeos com tutoriais. Esse artefato artesanal tem uma grande potência deflagradora e pode ser elaborado com ingredientes disponíveis em farmácias e outras lojas. Com proporções precisas de acetona, água oxigenada e ácido (sulfúrico, clorídrico, ou nítrico), chega-se a essa mistura explosiva.

 

 

A parte mais delicada é a adição do ácido à mistura de acetona e de água oxigenada, que libera calor, gases e pode se inflamar. De acordo com o texto judicial, foi na manipulação desses ingredientes que os extremistas provocaram a explosão. Dois deles morreram, e um terceiro ficou ferido. Seu relato permitiu reconstituir o plano orquestrado pela célula. Algumas horas mais tarde, sem seu arsenal, eles decidiram usar carros para atacar a multidão, matando 15 pessoas nos dois atentados reivindicados pelo EI.

 

Fonte:CP