Dólar incia a semana cotado a R$ 3,6872

Terça, 23 Outubro 2018 00:06

A cinco dias do segundo turno das eleições, o dólar registrou queda de 0,73% e terminou cotado a R$ 3,68 nesta segunda-feira, 22. Dos 15 pregões de outubro, a moeda americana já recuou em 11 deles, com os investidores apostando na vitória de Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas.

O cenário eleitoral fez o País se descolar do exterior, onde um impasse sobre o orçamento italiano e as difíceis negociações para saída do Reino Unido da União Europeia fizeram as bolsas caírem e o dólar subir em relação à maioria das moedas.

O Ibovespa terminou com ganho 1,63%, aos 85.596 pontos, tendo como um dos destaques a valorização expressiva das ações da Vale e de siderúrgicas, com as notícias de que a China prepara medidas para estimular mais sua economia. Os juros futuros caíram, refletindo a redução das apostas de que a Selic vai subir nos próximos meses.

Com as novas pesquisas confirmando a vantagem de Bolsonaro, não há justificativa sólida para reverter as posições atuais, ressaltam operadores. Por isso, o real foi uma das poucas moedas de emergentes - junto com as divisas da Argentina, África do Sul e Rússia - a ganhar valor ante o dólar em uma lista de 33 países.

O fato de a moeda americana ter caído muito rapidamente vem alimentando especulações no mercado sobre o que o Banco Central pode anunciar após as eleições. "A política do BC é se inclinar contra o vento", disse o economista-chefe do Rabobank, Mauricio Oreng, destacando que agora há uma pressão vendedora da moeda americana.

Para o executivo, já tem muita expectativa otimista e notícia boa embutida nos preços do dólar e, após a eleição, os investidores vão querer ver resultados concretos de quem for eleito. Por isso, até há espaço adicional para queda depois do segundo turno, mas tudo vai depender do que o BC fizer e do discurso do novo presidente sobre a agenda de medidas econômicas e a formação de sua equipe.

A cautela sobre o que o BC pode fazer é um dos fatores que têm impedido o dólar de ficar muito abaixo de R$ 3,70 nos últimos dias, ressalta o diretor de tesouraria de um banco. Na Bolsa, o Ibovespa já acumula ganho de 7,88% em outubro. O que chama a atenção no mercado é que o rali tem sido sustentado principalmente por investidores institucionais locais. Isso porque, no mês, o investidor estrangeiro retirou mais de R$ 1 bilhão da B3 até a última quinta-feira.

Fonte: CP

Os estudantes que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 podem acessar a partir de hoje (22) os cartões de confirmação da inscrição. Para consultar o documento, é necessário acessar a página do participante, onde deve ser colocado o CPF e senha ou baixar em seu celular o aplicativo Enem 2018. A primeira etapa do exame será aplicada no domingo, dia 4 de novembro.

O cartão reúne os dados do estudante, o endereço do local, a data e hora da aplicação da prova, além das informações sobre a língua estrangeira escolhida e recursos de acessibilidade, se tiverem sido solicitados. Caso tenha problema com as informações do cartão ou dificuldade de acesso ao documento, o estudante pode entrar em contato com o MEC pelo telefone 0800616161 ou pelo link Fale Conosco, no site do Enem.

Com a entrada em vigor do horário de verão no mesmo dia da primeira etapa do Exame, em 4 de novembro, o Ministério da Educação recomenda que os inscritos fiquem atentos aos horários de abertura e fechamento dos portões dos locais de prova em cada estado.

O MEC recomenda também que o estudante faça antes o trajeto até o local da prova, organizando o planejamento. A sugestão é que os participantes comecem a ajustar o horário de sono e dormir mais cedo uma semana antes do dia da prova.

Confira os horários do fechamento dos portões

No Distrito Federal e nos estados do Espírito Santo, de Goiás, Minas Gerais, do Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e São Paulo, os portões abrem às 12h e fecham às 13h.

Nos estados de Alagoas, do Amapá, da Bahia, do Ceará, Maranhão, de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, do Pará, da Paraíba, de Pernambuco, do Piauí, Rio Grande do Norte, de Sergipe, do Tocantins, os portões abrem às 11h e fecham às 12h.

No Amazonas, em Rondônia e Roraima, os portões abrem às 10h e fecham às 11h. No Acre, os portões abrem às 9h e fecham às 10h, no horário local.

Fonte: CP

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.089 da Mega-Sena. O sorteio foi realizado na noite desse sábado em Santa Helena de Goiás. Foram sorteadas as seguintes dezenas: 05 – 10 – 32 – 38 – 48 – 49.

A quina teve 29 apostas vencedoras. Cada apostador vai receber R$ 53.143,74. A quadra registrou 2.665 apostas ganhadoras e cada uma receberá R$ 826,14.

O concurso 2.090 está marcado para a próxima terça-feira (23). Segundo a Caixa, o prêmio estimado é R$ 18 milhões.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer loja lotérica credenciada pela Caixa em todo o país.. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

O primeiro submarino brasileiro chamado de Riachuelo deverá ser lançado ao mar em 14 de dezembro deste ano. Além dele, outros três serão construídos e lançados a cada 18 meses até 2023. Há ainda a previsão de que o primeiro submarino nuclear seja concluído em 2028.

O anúncio foi feito pelo diretor geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha do Brasil, o almirante de esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior, que apresentou o Programa Nuclear da Marinha  (PNM) e o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), nesta sexta-feira. A palestra do almirante, realizada no auditório da Capitania Fluvial de Porto Alegre, no Centro Histórico, reuniu militares da Marinha do Brasil e representantes da Pucrs, Ufrgs, Fiergs e da empresa AEL Sistemas, que produz materiais para as Forças Armadas.

Bento Costa apresentou detalhes dos projetos e a importância dessas iniciativas para o desenvolvimento do Brasil. Sobre o projeto de submarinos, Júnior disse que o Brasil está recuperando a sua capacidade de construção. Ao detalhar o projeto, o almirante informou que o primeiro modelo de submarino (S-BR), baseado no projeto francês “Scorpene”, foi desenvolvido com transferência de tecnologia francesa do Naval Group em parceria com a Marinha do Brasil e está sendo montado no Complexo Naval de Itaguaí, no Rio de Janeiro.

"O Programa Nuclear da Marinha do Brasil tem como objetivo dar maior segurança à costa brasileira e gerar impactos significativos na economia do país. Toda a atividade nuclear em território brasileiro é para fins pacíficos", destacou o Almirante que é diretor geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha do Brasil. Bento Costa afirmou ainda que o país está entre os mais extensos do mundo (ocupa a sexta posição) e possui grandes reservas naturais.

Em relação à tecnologia, o almirante afirmou que o programa da Marinha do Brasil traz inovação, competitividade e desenvolvimento ao país e apresentou dados dos últimos dez anos do programa. Segundo ele, o Prosub movimentou 700 empresas civis nacionais, 18 universidades e institutos de pesquisa, e foi responsável pela geração 4,8 mil empregos diretos e 12,5 mil empregos indiretos.

Sobre o programa nuclear brasileiro, o almirante disse ele começou a operar em 1914 por meio de parcerias com países como Itália, Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha. Já a origem do Programa do Submarino Nuclear remonta a década de 1970, com o Plano Estratégico da Marinha, que indicava a necessidade de projetar e construir submarinos de propulsão nuclear.

Na década de 1980 e 1990, foi firmada uma parceria com a Alemanha para a construção de cinco submarinos e a transferência de tecnologia. Em 2008, um acordo de parceria estratégica foi assinado com a França possibilitando a construção de quatro submarinos convencionais e um submarino de propulsão nuclear, além da construção de um estaleiro e de uma base naval. “O projeto básico do nosso submarino de propulsão nuclear foi finalizado e certificado pelos franceses em janeiro de 2017 e estamos na fase de detalhamento do projeto”, acrescentou.

Fonte: CP

A Polícia Federal indiciou, nesta sexta-feira, uma educadora física por crimes eleitorais após divulgação de conteúdo falso em redes sociais de compartilhamento. No vídeo publicado, ela relata o envio de urnas eletrônicas fraudadas para o Nordeste do Brasil e responsabiliza o governo federal por suposta fraude no atual processo eleitoral. A eleitora, de Porto Alegre, não teve nome revelado. No Rio Grande do Sul, o indiciamento é considerado inédito.

A PF instaurou o inquérito nessa quinta-feira, por requisição do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Diligências realizadas possibilitaram a identificação da autora do vídeo, indiciada por “divulgar, na propaganda, fatos que sabe inverídicos, em relação a partidos ou candidatos e capazes de exercerem influência perante o eleitorado” e “caluniar alguém, na propaganda eleitoral, ou visando fins de propaganda, imputando-lhe falsamente fato definido como crime”.

Fonte: CP

Em caso de condenação, a eleitora pode pegar até três anos de prisão. A pena ainda pode ser aumentada em um terço, em razão da utilização de redes sociais para divulgação do conteúdo falso.

A partir desta terça-feira, os Correios vão fechar e encerrar as atividades em 41 agências de 15 estados do país. No Rio Grande do Sul serão encerradas as atividades no Centro Administrativo de Porto Alegre e a agência localizada dentro da Universidade Federal de Santa Maria.

De acordo com a estatal, as unidades que serão desativadas estão em imóveis alugados, localizadas muito próximas a outras agências (menos de dois quilômetros) e não geram lucros. A empresa informou que os funcionários que trabalham nesses locais serão realocados. 

Atualmente, os Correios têm pouco mais de 6,3 mil agências próprias em todo o país, além de 4,3 mil comunitárias, 1 mil franqueadas e 127 permissionárias. Segundo a empresa, o encerramento das atividades dessas agências faz parte do processo de remodelagem da rede de atendimento, que prevê a substituição gradativa de unidades convencionais “por soluções diferenciadas e mais adequadas às necessidades dos clientes”.

“O processo de remodelagem prevê a ampliação dos pontos de atendimento, dos atuais 12 mil para 15 mil, em todo o país, até 2021, melhorando os serviços para a população”, informou a estatal, em nota.

Nenhuma outra agência foi desativada dentro desse processo de remodelagem do ano passado para cá e não há previsão de mais fechamentos até o fim de 2018. De acordo com os Correios, fechamentos pontuais que ocorreram foram relacionados a questões administrativas como reformas, aluguel e mudança de imóvel.

Serão fechadas agências nos estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Espírito Santo, de Goiás, do Piauí, de Minas Gerais, do Mato Grosso do Sul, de Mato Grosso, do Pará, do Piauí, do Rio de Janeiro, de Roraima, do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

Fonte: CP

O Palácio do Planalto informou nesta terça-feira que o início do horário de verão será mantido no dia 4 de novembro, cancelando um novo adiamento.

Geralmente, o horário começa em outubro, mas foi adiado para novembro em virtude do segundo turno das eleições. No começo do mês, o governo federal chegou a anunciar que adiou o início do horário de verão para o dia 18 de novembro por causa de um pedido feito pelo Ministério da Educação para não prejudicar os candidatos do Enem. O exame será aplicado em dois domingos. O primeiro deles será o dia 4 de novembro.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, já contava com o adiamento e chegou a comemorá-lo. “Candidatos terão mais tranquilidade para fazer as provas! Caso o horário de verão iniciasse no primeiro dia de provas do Enem, como estava previsto, muito provavelmente acarretaria prejuízos aos participantes", disse nas redes sociais no início de outubro.

A negativa do Planalto ao pedido veio após estudo de viabilidade feito pelos ministérios de Minas e Energia e Transportes. Segundo a assessoria do Planalto, a análise dos ministérios concluiu a inviabilidade de nova mudança no horário de verão, sem detalhes da decisão.

Na época em que foi anunciado o adiamento para 18 de novembro, a medida foi criticada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Segundo a associação, a mudança da data acarretaria "sérias consequências" ao planejamento das operações e, consequentemente, para quem adquiriu passagens antecipadamente, afetando 3 milhões de passageiros.

Ajustar o relógio

No horário de verão, os relógios devem ser adiantados em uma hora. O horário é adotado nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Uma organização criminosa, com três células independentes, que distribuía via postal vários tipos de drogas sintéticas para todo o país, foi desarticulada pelo Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) da Polícia Civil. Mais de R$ 1,5 milhão em entorpecentes, como 4.960 comprimidos de ecstasy, 709 pontos de LSD, 150 vidros de lança-perfume e 211 gramas de MDMA (princípio ativo do ecstasy) foram apreendidos ao longo de um ano de trabalho investigativo da operação Presságio conduzida pela equipe do delegado Thiago Lacerda.

Houve 15 prisões, incluindo três lideranças, restando agora um quarto homem que está foragido. A ação ocorreu no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso, Goiás, Brasília, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraíba e Amazonas. No RS, a ação foi realizada em Porto Alegre, Rio Grande, São Leopoldo, Glorinha, Panambi, Triunfo, Minas do Leão e Butiá. Ela aconteceu ainda em Joinville (SC), Cascavel (PR), Campo Largo (PR), Cuiabá (MT), Luziania (GO), São Paulo (SP), Franca (SP), Guarulhos (SP), Guaratinguetá (SP), Guaraci (SP), São José do Rio Preto (SP), Catanduvas (SP), Rio de Janeiro (RJ), Vitória (ES), Vila Velha (ES), Alegre (ES), Sousa (PB), Manaus (AM) e Brasília (DF).

A ação, intensificada a partir de abril deste ano, resultou no cumprimento de 32 ordens judiciais das quais 28 mandados de busca e apreensão. “Foi uma operação que quebrou um sistema muito bem organizado de drogas sintéticas, que são potentes, mais caras e vendidas em boa parte à juventude”, observou o diretor de investigações do Denarc, delegado Mário Souza, lembrando que a clientela é de alto poder aquisitivo. “Quem trafica também tem o perfil diferenciado”, acrescentou, citando jovens de classe média e alta envolvidos.

Segundo o delegado Thiago Lacerda, o grupo criminoso enviava as encomendas nas agências dos Correios das cidades de Porto Alegre, São Leopoldo e Glorinha, através de Sedex. As negociações ocorriam nas redes sociais, sendo depositados os valores em contas-correntes indicadas e provavelmente em nomes de “laranjas”.

Havia uma tabela com os preços das diferentes drogas sintéticas, sendo que a taxa de frete ficava sob responsabilidade dos compradores, identificados como traficantes que agem em festas raves em todo o país. A grama do MDMA custava R$ 150 e cada comprimido de ecstasy valia R$ 70,00. Já um tubo de lança-perfume podia ser adquirido por R$ 150. “A qualidade que vendiam era superior”, constatou, relatando que os criminosos faziam até testes de verificação dos entorpecentes importados.

Em um único apartamento em Porto Alegre, os agentes do Denarc encontraram quase R$ 200 mil em entorpecentes. Já dois pacotes de MDMA apreendidos foram avaliados em mais de R$ 30 mil. Na propaganda para clientes, as drogas era chamadas de “gringas”, sendo ainda denominado de “bala” o ecstasy e de “doce” o LSD.

Durante as investigações, os policiais civis infiltraram-se até nas redes sociais mantidas pela organização criminosa e mantiveram contatos pessoais com as lideranças, além de colherem provas para o inquérito, inclusive recolhendo algumas encomendas postais. “Realizamos monitoramentos especiais e frequentamos festas”, resumiu o delegado Thiago Lacerda.

Já o delegado Mário Souza revelou ainda que as drogas sintéticas vinham da Europa, sobretudo da Holanda, e passavam antes pela região Centro-Oeste antes de seguiram para o Rio Grande do Sul, onde então acabavam sendo distribuídas nacionalmente. O trabalho investigativo terá prosseguimento com foco, por exemplo, na questão patrimonial da organização criminosa.

Fonte: CP

A partir de amanhã, os boletos com valor a partir de R$ 100, mesmo vencidos, poderão ser pagos em qualquer banco. A medida faz parte da nova plataforma de cobrança da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que começou a ser implementada em julho do ano passado.

Para serem aceitos pela rede bancária, em qualquer canal de atendimento, os dados do boleto precisam estar registrados na plataforma. Segundo a Febraban, os clientes que tiverem boletos não registrados na Nova Plataforma, rejeitados pelos bancos, devem procurar o beneficiário, que é o emissor do boleto, para quitar o débito.

O novo sistema permite o pagamento em qualquer banco, independentemente do canal de atendimento usado pelo consumidor, inclusive após o vencimento, sem risco de erros nos cálculos de multas e encargos. Além disso, segundo a Febraban, o sistema traz mais segurança para a compensação de boletos, identificando tentativas de fraude, e evita o pagamento, por engano, de algum boleto já pago.

As mudanças estão sendo feitas de forma escalonada, tendo sido iniciada com a permissão para quitação de boletos acima de R$ 50 mil. Entretanto, em junho deste ano, após dificuldades de clientes para pagar boletos, a Febraban alterou o cronograma.

A previsão inicial era que a partir de 21 de julho deste ano fossem incluídos os boletos com valores a partir de R$ 0,01. A expectativa era de que em 22 de setembro o processo tivesse sido concluído, com a inclusão dos boletos de cartão de crédito e de doações, entre outros. Pelo novo cronograma, os boletos a partir de R$ 0,01 serão incluídos a partir do próximo dia 27 e os boletos de cartões de crédito, doações, entre outros, no dia 10 de novembro de 2018.

Segundo a Febraban, apesar de o sistema passar a processar documentos de menor valor, com volume maior, os bancos não preveem dificuldade na realização dos pagamentos, com base nos testes feitos nas fases anteriores. Com a inclusão e processamento desses boletos no sistema, a Nova Plataforma terá incorporado cerca de 3 bilhões de documentos – aproximadamente 75% do total emitido anualmente no país. Nas próximas fases, serão incorporados 1 bilhão de boletos de pagamento.

A Febraban lembra que a nova plataforma é resultado de uma exigência do Banco Central, com incorporação de dados obrigatórios, como CPF ou CNPJ do emissor, data de vencimento, valor, além do nome e número do CPF ou CNPJ do pagador.

A rede de fast-food McDonald’s recebeu multa de R$ 6 milhões por publicidade abusiva direcionada ao público infantil por meio de shows, em escolas, do personagem da marca. A decisão é do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do Ministério da Justiça. De acordo com o DPDC, os shows do palhaço Ronald McDonald eram pretexto para publicidade da marca, configurando prática abusiva vedada no mercado e nas relações de consumo.

A denúncia contra a empresa Arcos Dourados Comércio de Alimentos Ltda., nome pelo qual está registrada a rede de fast-food no Brasil, ocorreu em 2013. O programa Criança e Consumo do Instituto Alana, ONG que promove os direitos da criança apontou, por meio de um levantamento no site da empresa, que em dois meses foram realizadas 70 apresentações do show em 35 cidades de dez estados do país.

Ekaterine Karageorgiadis, coordenadora do programa Criança e Consumo, do Instituto Alana, considera que a decisão é importante para o reconhecimento da publicidade infantil como prática abusiva e a sanção aplicada serve de exemplo para que outras empresas não reproduzam essa prática.

Ela fala que a inserção de marcas dentro das escolas prejudica o senso crítico das crianças em relação ao consumo dos produtos por elas oferecidos e por isso é considerado uma prática abusiva.

O prazo é de 30 dias para que o McDonalds pague a multa. Ainda cabe recurso da decisão.

Fonte: CP