Um novo viral na internet causa preocupação entre pais, especialistas e autoridades. Trata-se do “Momo”, um desafio direcionado a crianças realizado através do WhatsApp. A personagem do jogo chama a atenção pelos olhos grandes e aparência assustadora. As imagens foram disseminadas em todo o mundo e já chegaram às escolas gaúchas.

A fisioterapeuta Francisca de Freitas Paim Farias, moradora de Capão da Canoa, relata que na escola da filha dela, de oito anos, pelo menos duas crianças tiveram contato com o jogo. “Minha filha me contou que tem dois colegas de oito anos, que tem WhatsApp, e estão em contato com essa Momo. Uma menina que fala diariamente e agora tem assustado os colegas na escola. E um menino disse que além, de se comunicar com a Momo, baixou um aplicativo de realidade Momo, e que assistiu a um vídeo de uma criança chorando durante muito tempo”, relatou a mãe.

Francisca procurou a direção da escola, que marcou uma reunião, com a presença da equipe de coordenação. “A gente cuida muito o que ela acessa. Mesmo não tendo WhatsApp, a gente fica com medo”, confessou.

As informações sobre o jogo no Brasil ainda são preliminares, mas os relatos dão conta de que os usuários recebem uma mensagem com pedido para iniciar uma conversa. Um número, primeiramente desconhecido, envia convite com perguntas e desafios. Se o contato é aceito, as informações do usuário, disponíveis no perfil do aplicativo, podem ser acessadas pelo administrador da “Momo”. A partir disso, os dados podem ser utilizados para chantagem e extorsão.

Nesta quarta-feira, o Ministério Público Estadual divulgou orientações e informações sobre o jogo. Conforme a coordenadora do Centro de Apoio da Infância e Juventude, Denise Villela, o jogo é usado para fazer contato com crianças e adolescentes, o que pode acarretar inúmeros riscos emocionais, por incluírem agressões, extorsões e intimidações. “Pode levar inclusive a prática de sufocamento e outras formas de autolesão”, alertou Denise.

Segundo o Ministério Público, no Rio Grande do Sul, não há informações sobre casos graves envolvendo a Momo, mas já há no Brasil registros que podem estar relacionados aos desafios estimulados pelo jogo. “Temos que tomar um cuidado especial com crianças e adolescentes, orientando a não ter contato com pessoas desconhecidas. E verificado que a criança entrou em contato com a Momo, procurar a autoridade policial ou o Ministério Público mais próximo do seu local”, orienta a coordenadora.

A ONG SaferNet Brasil publicou uma orientação aos pais e educadores. “Esta é mais uma situação em aplicativos de mensagem que explora a curiosidade dos usuários para cometer golpes, roubo de dados ou ameaças mais graves como a extorsão a partir de suposto desafio”, adverte o texto. A recomendação da organização é que crianças e adolescentes sejam orientados a “bloquear o suposto usuário ‘Momo’, não iniciar a conversa e não compartilhar informações com o perfil”. A ONG lembra que o jogo ainda não é plenamente conhecido e que pode ser uma ferramenta utilizada por criminosos pra roubar dados e extorquir pessoas na internet.

O apelo infantil pode estar explicado no fato de as crianças serem facilmente atraídas, pela curiosidade. “Crianças adoram tudo o que dá medo ou é muito bonito. Então, o desenho da Momo, ao mesmo tempo que dá medo, desperta interesse. A criança quer descobrir o que está por trás daquilo”, pondera o psiquiatra Ricardo Nogueira.

Riscos

A SaferNet Brasil informou que, mesmo que o suposto desafio seja uma forma de brincadeira ou de sanar a curiosidade, os riscos são grandes, principalmente porque algumas tarefas envolvem autolesão.

Os riscos envolvem:
– dar acesso a informações pessoais (foto de perfil, status, número do celular etc.)
– receber conteúdos impróprios ou violentos para determinadas faixas etárias
– instalação de programas maliciosos para roubo de dados ou infecção dos aparelhos
– ameaças de agressões e exposições on-line e off-line;
– extorsão financeira e ameaças de morte;
– provocações para desafios que podem gerar dano ou estimular autolesão.

Fonte: Rádio Guaíba

Dois homens morreram trabalhando em um silo de arroz, no interior de Candelária, no Vale do Rio Pardo, na manhã desta terça-feira. O acidente ocorreu em uma propriedade rural da localidade de Várzea do Botucaraí.

Conforme informações do Corpo de Bombeiros Voluntários do município, quatro trabalhadores faziam o carregamento de sacos do grão quando foram atingidos por uma estrutura de madeira que se desconectou do silo. As  vítimas foram identificadas como Clodomiro Silva Corrêa, de 53 anos, e Wilson do Nascimento Aires, de 54, ambos naturais de Cachoeira do Sul.

Dois trabalhadores conseguiram escapar, sofrendo ferimentos leves. Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados para atender a ocorrência, mas as vítimas já foram encontradas sem vida. A Polícia Civil investiga o caso.

Fonte: CP

A Polícia Civil desencadeou, nesta segunda-feira, a operação Infância Protegida II. A ação tem como objetivo combater crimes relacionados à pornografia infanto-juvenil cometidos pela internet.

Ao todo, estão sendo cumpridos 16 mandados de busca e apreensão em residências de Porto Alegre e em outras sete cidades - que não foram divulgadas.

A operação é comandada pela Delegacia de Polícia da Criança e do Adolescente Vítima (DPCAV), do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca), com apoio do Instituto Geral de Perícias (IGP).

primeira fase da operação foi desencadeada em fevereiro. Na ocasião três homens foram presos em Porto Alegre, Mostardas e Alecrim.

O delito está previsto no artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca) que caracteriza o crime de pornografia infantil como "adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente".

Fonte: CP

RS receberá 20 viaturas da PRF

Segunda, 27 Agosto 2018 11:38

A Polícia Rodoviária Federal vai distribuir 254 viaturas novas entre suas unidades no país. O Rio Grande do Sul já recebeu 20 veículos e mais 20 serão entregues. Os modelos são os mais variados, como Mitsubishi L200, Chevrolet Trailblazer, Ford Ranger e Mitsubishi Pajero, entre outros.

A adaptação das viaturas para a PRF, incluindo ainda o transporte em caminhões cegonhas para os estados, está sendo realizado pela empresa REV Brazil, especializada na transformação de veículos para o setor de segurança pública e com sede em Sorocaba, São Paulo.

Os criadores de equinos ameaçaram abandonar a Expointer 2018 na manhã deste sábado, com a retirada dos cerca de 400 cavalos de várias raças do Parque de Exposições Assis Brasil, em protesto contra o que definiram como "ato truculento praticado pelo seguranças privados" durante a madrugada. No entanto, voltaram atrás da decisão depois de uma reunião com o presidente da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac), Leonardo Lamachia. "Por volta das 3h, os seguranças invadiram o Pavilhão dos Equinos e, de forma truculenta, retiraram proprietários de cavalos e veterinários que pernoitavam, em barracas, nas baias vazias", revelou Lamachia, que solicitou uma posição da direção do parque. O diretor administrativo, Sandro Roberto Schlindwein, disse desconhecer o ocorrido e adiantou que a ordem de intervenção dos seguranças terceirizados não partiu da administração.

"A ação gerou revolta nos criadores que realmente desejavam abandonar o local com seus animais", enfatizou Lamachia, acrescentando que nunca ocorrera fato semelhante durante a exposição. A criadora Fernanda Prates, do Centro Equestre Referencial, de Guaíba, disse que os seguranças agiram intempestivamente. "Chegaram batendo nas baias, obrigando criadores e veterinários deixassem o local. Alguns proprietários estavam acompanhados dos filhos, que ficaram em pânico", revelou. Segundo ela, a "operação" acabou por estressar os equinos. "Passamos o resto da noite ao relento, no frio. Queriam que fôssemos para os alojamentos, mas não deixamos nossos cavalos sozinhos", explicou.

 

Fernanda ainda informou que os seguranças "foram mais incisivos" contra os criadores de Quarto de Milha e Appaloosa. Quando chegaram nos corredores de acesso às baias das outras raças teriam agido com menos rigor. "Muitos criadores deixaram de participar da exposição porque a cada ano surge um fato desagradável", lamentou. Já a vice-presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Appaloosa, médica veterinária Fabiana Feoli, proprietária do Centro de Treinamento M. F. Horse, de Viamão, ficou revoltada. Ela dormia na baia ao lado de uma égua que apresentava quadro de estresse, pertencente a um cliente, justamente com a intenção de monitorar o animal. "Acordei assustada com os gritos e com a luminosidade emitida pelas lanternas dos seguranças", recordou.

 

Enquanto ela pedia calma aos seguranças e negociava a permanência no local, um dos homens chamou seu marido, o criador Max Rochol, e outros criadores que se encontravam no pavilhão de "meliantes". "Isso não tem cabimento", assinalou. Não bastasse toda a confusão registrada na madrugada, no final da manhã Rochol foi mais uma vez hostilizado por um segurança, que percorria o parque pilotando uma motocicleta. "Aos gritos ordenou que era proibido montar a cavalo e mandou eu descer e caminhar ao lado do animal", relatou. Os criadores de equinos revelaram que permanecerão dormindo nas baias.

Luciamem Winck, via Correio do Povo

 

Sob os olhares atentos de uma plateia formada por crianças e adultos, uma vaca da raça Gir Leiteiro da Fazenda Santo Antônio, localizada na cidade de Nova Alvorada, foi a primeira a dar à luz na 41ª Expointer. O nascimento aconteceu por volta das 15h deste sábado (25), no Pavilhão do Gado Leiteiro.

De acordo com o agricultor Álvaro José Bombonatto, o terneiro chegou saudável e pesando entre 25 e 30 quilos. A SA Dondoca iniciou o trabalho de parto às 13h e foi preciso fazer um isolamento para evitar a aproximação do público. "É um momento estressante para o animal, por isso tivemos que manter as pessoas distantes, para ela ter um pouco de tranquilidade", detalha.

A Fazenda Santo Antônio já tem tradição na Expointer, principalmente por revelar vitoriosos no evento. "O Diamante, a Borboleta e a Badalada já foram os Grandes Campeões da Feira. Inclusive, a irmã da Dondoca, a Divina, foi a vencedora em 2016 e 2017. Esse ano ela não veio devido a um problema de saúde." Conforme o agricultor, ele chegou com os animais no Parque de Exposições Assis Brasil na última quarta-feira. Foram seis horas de viagem.

 

A PRF apreendeu 660 litros de bebidas de origem estrangeira na madrugada desta sexta-feira (24), na BR 290 em São Gabriel.

Durante atividades de fiscalização e combate ao crime, os policiais abordaram uma Fiorino com placas de Santa Maria que transitava pela BR 290 e, ao vistoriar o interior do veículo, encontraram 660 litros de bebida de origem estrangeira sem o devido desembaraço aduaneiro.

A carga, composta exclusivamente de whisky, teria sido adquirida no Uruguai e foi avaliada em cerca de 60 mil reais.  A mercadoria e o veículo foram retidos e serão encaminhados à Receita Federal.

Ao menos 35 pessoas ficaram feridas em acidente entre ônibus e caminhão na ERS 030, em Gravataí. De acordo com o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), o acidente, que aconteceu por volta das 5h30min de hoje, envolveu um coletivo da empresa Sogil que transportava funcionários da General Motors.

Após a colisão, no km 4 da rodovia,  o ônibus tombou e foi arrastado por alguns metros, parando próximo à fábrica da Pirelli. Havia cerca de 40 pessoas no coletivo. Dos feridos, um está em estado grave, segundo o CRBM.

De acordo com a Record TV, motorista e passageiros do ônibus precisaram deixar o veículo pelo parabrisa e pela saída de emergência localizada no teto.

O guincho para a retirada do ônibus já chegou ao local do acidente. A pista deve ser liberada por volta das 9h30min. 

Fonte: CP

Trezentos mil reais em espécie foram apreendidos na noite dessa quarta-feira na cidade de Pejuçara, cidade do Planalto Médio do Rio Grande do Sul. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o dinheiro foi encontrado em um Golf que trafegava pela BR 158. 

Conforme os policiais rodoviários, o dinheiro, que não teve a origem comprovada, estava em sacos plásticos pretos. O motorista, de 25 anos, natural de Foz do Iguaçu, relatou que tinha como destino a cidade de Santana do Livramento. 

O homem foi conduzido até a delegacia de Polícia Civil de Cruz Alta. Ele prestou depoimento e foi liberado, mas as investigações sobre o caso devem continuar. 

Fonte: CP

Chega a 45% o aumento do número de mortes atribuídas ao vírus da Influenza, causador das gripes A e B, em 2018, no Rio Grande do Sul. Um boletim atualizado hoje pela Secretaria Estadual da Saúde mostra que 67 pacientes morreram até o momento, contra 46, nessa mesma época do ano, em 2017. O número de casos também cresceu: foram 506 em 2018 contra 430, até a metade de agosto, no ano passado.

Mais quatro mortes foram notificadas em relação ao boletim anterior, da semana passada. O tipo de vírus predominante, entre os casos que evoluíram para óbito, segue sendo o H1N1 – que tirou a vida de 47 pessoas. Em 2017, o H3N2 havia matado 30 pacientes.

Cinquenta e uma das 67 vítimas registradas em 2018 tinham fatores de risco e 28 eram maiores de 60 anos, conforme o balanço. Outras 17 tinham mais de 50. Só nove tomaram a vacina, mas uma delas menos de 15 dias antes do surgimento dos sintomas, conforme o relatório.

Porto Alegre registrou oito mortes, Caxias do Sul, sete, e Canoas e Passo Fundo, quatro cada. Há casos confirmados em 106 cidades gaúchas.

Veja onde ocorreram as mortes, até o momento, no RS: