O primeiro fim de semana sem a administração da Concepa na BR 290 foi marcado por um acidente fatal na noite de domingo. Um Tempra, com placas de Gravataí, que estava parado na entrada para a Ilha das Flores, no km 102, no sentido interior-capital, foi atingido por um Focus, com placas de Porto Alegre. Higino Abreu da Cunha, 65 anos, que estava no acostamento do lado de fora do Tempra, acabou atropelado e morreu na hora. A sua esposa, que permaneceu dentro do veículo, e o condutor do Focus sofreram ferimentos leves e foram levados a um hospital.

Ao tentar voltar para a pista, o Focus ainda colidiu com um micro-ônibus, mas ninguém ficou ferido na van. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu por volta das 19h30min e resultou em um congestionamento de até 15 quilômetros, com uma hora de pista totalmente bloqueada. Bombeiros e ambulância chegaram cerca de meia hora após a colisão. Familiares da vítima se deslocaram ao local e reconheceram o corpo. A perícia levou pelo menos três horas para coletar as provas do acidente. Motoristas que retornavam à Capital enfrentaram mais de duas horas de engarrafamento.

Fonte: CP

Ao longo de todo o ano, o Hemocentro do Rio Grande do Sul, junto com as unidades regionais, solicita doações para garantir os estoques, principalmente nos períodos festivos e em feriados. Atividades do mês de novembro, por exemplo, quando é celebrado o Dia do Doador Voluntário (25), também estimulam a boa prática que ajuda a salvar vidas.
 
A população pode participar da campanha de solidariedade comparecendo ao Hemocentro de Porto Alegre (Avenida Bento Gonçalves, 3722) - de segunda a sexta feira, das 8h às 18h - ou às unidades municipais do interior. No estado, apenas 2,4% da população é doadora de sangue, enquanto no Brasil o percentual é de 1,8%, conforme dados do Ministério da Saúde.
 
Saiba onde ajudar. (colocar link ativo: http://www.saude.rs.gov.br/onde-doar-sangue)
 
Requisitos
 
Para ser um doador, é preciso: estar em boas condições de saúde; apresentar documento oficial de identidade com foto; ter idade entre 16 e 69 anos (voluntários com menos de 18 anos devem estar acompanhados pelos pais ou responsável legal); pesar no mínimo 50 kg; não estar em jejum; ter dormido pelo menos 6 horas antes da doação; não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores; e não fumar pelo menos duas horas antes.

O projeto de lei 6048 de 2016 que cria a Política Nacional de Incentivo à Ovinocaprinocultura, de autoria do deputado federal Afonso Hamm, foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados, na última terça-feira (03).

 

De acordo com o parlamentar, o objetivo da proposta é desenvolver raças mais produtivas e aumentar a rentabilidade dos rebanhos de ovinos e caprinos.

 

“Queremos propiciar condições para aumentar a escala de produção, intensificando o manejo e a eficiência da produtividade e da rentabilidade, além de regularizar o abate e o comércio de produtos da ovinocaprinocultura, visando melhorar a qualidade dos produtos oferecidos ao consumidor, proporcionando segurança alimentar, diminuindo o abate informal e combate ao abigeato”, afirmou.

 

O relator da matéria na CCJC, deputado Pedro Cunha Lima, apresentou parecer favorável ao texto. Como tramita em caráter conclusivo, a proposta seguirá, agora, para o Senado, a não ser que haja recurso para que passe antes pelo Plenário da Câmara.

A Polícia Civil e a Brigada Militar foram mobilizadas na madrugada desta quinta-feira no ataque com explosivos ao Banco do Brasil de Canguçu, na Zona Sul do Estado. Na fuga, eles queimaram um caminhão, na BR 392, e dois carros usados para deixar a cidade.

Durante o roubo, os criminosos fortemente armados provocaram um blecaute parcial de energia elétrica na cidade quando detonaram dois caixas eletrônicos no interior da agência bancária situada na rua Júlio de Castilhos. Titular da DP de Canguçu, a delegada Lisiane Matarredona observou que “um dos explosivos acabou atingindo a fiação elétrica”.

Na avaliação dela, o rompimento da rede não foi proposital. Na fuga, os bandidos espalharam miguelitos na frente do posto da BM e ao longo do caminho. No km 110 da BR 392, perto do pedágio, um caminhão foi abordado e incendiado na pista com o objetivo de barrar uma eventual perseguição policial. A Polícia Rodoviária Federal foi acionada. Os bandidos estavam em dois veículos, um Fiat Punto e um Peugeot 307. Os carros foram encontrados incendiados pela manhã no km 287 da RSC 471, na ponte do rio Camaquã, no limite entre Canguçu e Encruzilhada do Sul.

Os veículos estão sendo periciados. A BM e o Comando Rodoviário da BM realizaram buscas e montaram barreiras em toda a região. Quatro criminosos teriam entrado na agência bancária, enquanto possivelmente outros estivessem dando cobertura no lado externo. Dois caixas eletrônicos foram explodidos no saguão de autoatendimento, sendo saqueado o dinheiro de ambos. Um dos terminais possuía o dispositivo de acionamento de tinta vermelha em caso de violação, o que deixou tingida as cédulas de reais que estavam no equipamento. Um carro que passava pela rua foi alvo de disparos e teve a lataria atingida por um tiro e um pneu furado por um miguelito.

A agência do Banco do Brasil ficou parcialmente destruída. Houve o isolamento do local para a realização da perícia do Departamento de Criminalística que ocorreu após uma varredura feita à tarde pelo esquadrão anti-bombas do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) do 1º Batalhão de Operações Especiais da BM. Em Porto Alegre, o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil apura quem seriam os integrantes da quadrilha.

Fonte: CP

O governo do Estado confirmou, nesta quinta-feira, o reforço de 949 novos servidores para atuar na Segurança Pública. A contratação dos profissionais aposentados, reservistas e temporários, que vão atuar na Brigada Militar, no Corpo de Bombeiros Militar, na Polícia Civil, na Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e no Instituto-Geral de Perícias, está publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira.

Os servidores vão trabalhar em atividades administrativas e internas, videomonitoramento, controle de tornozeleira eletrônica, patrulha escolar, policiamento comunitário, ambiental e fazendário, guarda externa de presídios, guarda de prédios públicos, ensino, treinamento e apoio às funções de bombeiro.

A contratação dos servidores foi aprovada, junto com outras 17 leis, em novembro de 2017 pela Assembleia Legislativa e sancionada em janeiro deste ano pelo governador José Ivo Sartori.

“São profissionais experientes e egressos das Forças Armadas, plenamente capazes de executar as tarefas para as quais serão designados. A contratação permitirá liberar os servidores para a atividade-fim, reforçando nossos quadros na ponta, onde é mais necessário”, observou o secretário Cezar Schirmer.

Confira para onde irão os servidores

- 31 servidores para a Polícia Civil;

- 11 para o IGP;

- 4 para a Susepe;

- 267 militares reservista para a Brigada Militar;

- 46 militares reservistas para o Corpo de Bombeiros Militar;

- 502 soldados temporários para a Brigada Militar, egressos das Forças Armadas;

- 88 soldados para o Corpo de Bombeiros Militar, egressos das Forças Armadas.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) emitiu alerta sobre falsos e-mails com suposta convocação do eleitor para trabalhar como mesário no próximo pleito. A mensagem informa uma senha falsa para acessar documentos privados que contêm links maliciosos, os quais podem conter vírus.

Outros e-mails, também falsos e em nome da Justiça Eleitoral, informam ao internauta que uma suposta ausência dele como mesário teria gerado o cancelamento de seu título de eleitor ou solicitando a atualização de dados cadastrais para a Justiça Eleitoral. O TRE orienta que essas mensagens sejam apagadas, pois também podem conter vírus.

“Ressaltamos que o TRE-RS não envia e-mails a eleitores, salvo se expressamente autorizado pelo eleitor em formulário registrado no cartório. E mais: o TRE-RS não autoriza nenhuma outra instituição a enviar e-mails em seu nome”, destaca a nota da instituição.

O Rio Grande do Sul é o segundo Estado com menor percentual de mulheres à frente de administrações municipais. De todos os prefeitos de cidades gaúchas, apenas 6,8% são do sexo feminino, ou seja, dos 497 municípios gaúchos, somente 34 são governados por mulheres. Atrás do RS, apenas o Espírito Santo, que assinalou 5,1% de municípios com mulheres no comando administrativo. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estudo fez um raio-x de 5.570 municípios brasileiros a partir de sete temas, entre os quais perfil gestor, recursos humanos, habitação, transporte e agropecuária. O objetivo da pesquisa é levantar dados relativos à gestão e à estrutura dos municípios, em 2017, que permitam o monitoramento, planejamento e a avaliação de políticas locais.

Dos mais de 5.570 municípios de todo Brasil avaliados, 4.908 (88,1%) são comandandos por homens, enquanto 662, apenas 11,9%, as gestoras são mulheres. Líderes no número de prefeitas, Roraima (33,3%) e Rio Grande do Norte (28,1%), por exemplo, apresentam até quatro vezes mais mulheres à frente de administrações municipais do que os gaúchos.

No que diz respeito ao percentual do pessoal ocupado na administração direta, por vínculo empregatício, a região Sul tem 73% de servidores estatutários, de um total de 840.139 cargos. No RS, dos 302.256 servidores, mais da metade (226.883) é formado por estatutários, enquanto que os comissionados são 20,9 mil.

O percentual do pessoal ocupado na administração indireta, por vínculo empregatício mostra que a região Sul lidera, com 56,7% de servidores estatutários, ficando à frente do Nordeste (45,2%). Dos 40.116 assinalados na região Sul, quase metade está no RS (18.346). Do total, 9.603 são celetistas e 6.714 são estatutários.

A existência de Fundo Municipal de Habitação, conhecido como instrumentos instituído por leis municipais próprias que reúnem receitas oriundas de determinadas fontes, também foi alvo da pesquisa. A existência do fundo é uma exigência para que o município tenha acesso a recursos do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social. Neste quesito, o RS está em 4º lugar, com 66,2% dos seus municípios com Fundo Municipal de Habitação. Em primeiro está Mato Grosso, com 81%. Santa Catarina (74,2%) e Rio de Janeiro (70,7%) completam a lista.

Sobre transporte, a maioria dos municípios brasileiros dispunha de alguma estrutura encarregada das políticas públicas de transporte. Dos 487 municípios gaúchos, 431 garantiram que têm transporte coletivo por ônibus intermunicipal. Desse total, 271 atendem ao deslocamento entre bairros, distritos, localidades dentro do município. Oitenta e quatro municípios têm ciclovia e 27 dispõem de bicicletário público.

Fonte: CP

Um ar gélido invadiu o Rio Grande do Sul durante a madrugada desta terça-feira e derrubou as temperaturas, segundo informações da MetSul Meteorologia. Enquanto alguns pontos de Porto Alegre registraram 9ºC nas primeiras horas do dia, na Zona Sul do Estado, na cidade de Herval, os termômetros marcaram 1,6ºC. Na Campanha, a mínima ficou na casa dos 3ºC e na Serra em torno dos 4ºC. Todo este frio, porém, antecede a volta da chuva, que deve aparecer no Estado já nesta quarta-feira.       

O ar seco garantirá a melhora do tempo nesta terça, mas as temperaturas não irão subir muito ao longo do dia e mesmo à tarde, com a presença do sol, a sensação será de frio. A máximas não devem chegar aos 15ºC, principalmente por conta do vento com intensidade moderada. 

A quarta-feira será um pouco diferente, já que a chuva deve chegar ao Rio Grande do Sul na primeira metade do dia. O tempo instável permanecerá na quinta até sábado. Segundo a MetSul Meteorologia, no domingo, a previsão é de melhora, mas com uma queda brusca das temperaturas.

O Ministério Público estadual instaurou inquérito civil para investigar a atuação do Banrisul e do Estado do Rio Grande do Sul na operação de venda de ações do banco ocorrida no dia 27 de abril. O expediente é assinado pela promotora Míriam Balestro Floriano, da Promotoria de Justiça Especializada de Combate aos Crimes Licitatórios. “Os fatos a serem investigados, conforme amplamente divulgado pela imprensa, sem dúvida merecem uma rigorosa apuração”, assinalou a promotora nesta segunda-feira.

Na portaria, o MP informa que o inquérito tem por objetivo “Investigar supostas irregularidades praticadas pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) e pelo Estado do Rio Grande do Sul, tendo em vista a venda de um lote com 2.974.500 Ações Ordinárias (ON), que integravam o Patrimônio do Banrisul.”

O expediente assinala o fato de a operação “ter-se-ia dado dentro do valor mínimo unitário por ação estipulado pelo Estado, de R$ 17,65”, totalizando um montante bruto de R$ 52,5 milhões, “preço significativamente abaixo do praticado no mercado, com prejuízo de enorme monta ao patrimônio público.”

O MP solicita ainda que sejam oficiados o Ministério Público de Contas (MPC) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para indagar se neles tramitam expedientes relativos ao objeto da investigação. A mesma providência está sendo encaminhada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), onde já tramita apuração a respeito da operação, com solicitação de cópia do expediente em curso.

São oficiados ainda os conselhos de Administração e Fiscal do Banrisul para que, dentro de um prazo de 20 dias, prestem esclarecimentos sobre o objeto da investigação.

Entenda

Em 27 de abril, uma sexta-feira, o governo do Estado anunciou que havia feito a venda de 2,9 milhões de ações ordinárias (com direito a voto) do Banrisul, sem ter chegado a comunicar previamente a oferta. No mesmo dia, a Bolsa de Valores (B3) e a CVM solicitaram explicações sobre a operação, em função da movimentação considerada como atípica do papel, que, no dia 27, registrou preço mínimo de R$ 17,65, uma queda de 31% em relação ao dia anterior. A Bolsa chegou inclusive a reproduzir as cotações no período entre 9 e 26 de abril, quando o valor da ação variou de R$ 25,30 a R$ 26,71.

Em resposta e em diferentes notas, o Banrisul e o governo do Estado informaram que a venda “se deu por iniciativa própria do acionista controlador” e que a oferta cumpriu “absolutamente todas as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da legislação aplicável.”

O governo também negou que uma só empresa tivesse adquirido 70% das ações, conforme passou a ser destacado primeiro por investidores e profissionais que atuam no mercado de capitais e depois por sindicatos e deputados de bancadas de oposição ou independentes.

Os profissionais e investidores que questionam a forma como a venda foi encaminhada destacam que o painel do pregão da bolsa na sexta-feira, 27 de abril, pode dirimir eventuais dúvidas porque mostrou que um banco múltiplo com foco em operações estruturadas de financiamento, assessoria financeira e asset management teria adquirido 65,3% das ações, o banco de investimentos que intermediou a operação outros 5,8%, e uma corretora outros 5%.

Sindicatos que contestam juridicamente a operação e integrantes do Legislativo, por sua vez, querem esclarecer se há a possibilidade de que instituições ou investidores determinados tenham se beneficiado ou acessado informações privilegiadas.

Fonte: CP

Um incêndio de grandes proporções atinge o prédio do 19º Batalhão de Infantaria de São Leopoldo, no Vale do Sinos. As causas ainda não se esclareceram.

De acordo com informações preliminares, o fogo começou por volta das 12h30min, na sala do comando da unidade. Diversos carros do corpo de bombeiros estão no local tentando conter o fogo. Não há registro de feridos.

Fonte: CP