Sete novas viaturas foram doadas pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul para reforçar a segurança pública no Estado. Os veículos foram adquiridos por meio de Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) e tiveram investimento total de R$ 752 mil. A entrega dos carros aconteceu na manhã desta terça-feira, no jardim do Palácio Piratini, em Porto Alegre.

Dos sete veículos, três são Renault Duster que serão destinados ao 9º Batalhão de Polícia Militar, na Capital. A Polícia Civil recebeu quatro viaturas: um Toyota Corolla e dois Toyota Hilux, que serão encaminhados à Delegacia do Consumidor; e um Fiat Toro, para a Delegacia da Mulher.

Segundo o procurador-geral de Justiça do Estado, Fabiano Dallazen, os recursos vêm da atuação do Ministério Público. “Neste caso, das Promotorias de Defesa do Meio Ambiente e de Defesa do Consumidor. Verificando ilícitos nessas áreas, fizemos um acordo com aqueles que causaram poluição ambiental e cobramos daqueles que violaram os direitos do consumidor. Só que os recursos, em vez de virarem multas ou irem para fundos, foram canalizados para a compra de veículos para a Segurança Pública. É muito importante, porque demonstra uma integração operacional, que vem trazendo grandes resultados ao Estado”, explicou.

 

Por volta das 6h15 desta terça-feira (24) no Km 404 da BR 290 em Santa Margarida do Sul ocorreu uma colisão frontal que matou um homem de 43 anos.

A PRF foi acionada para atender um acidente envolvendo um caminhão de Cachoeira do Sul e um GM Spin da Prefeitura de Santa Margarida do Sul.

Verificou-se através dos vestígios que o caminhão que trafegava no sentido capital – interior, se aproximando de São Gabriel, invadiu faixa oposta e colidiu frontalmente com o automóvel que trafegava no sentido oposto.

O motorista da prefeitura não resistiu ao impacto e morreu no local. O motorista do caminhão, sem lesão aparente, foi encaminhado para atendimento médico em estado de choque. Não há outras pessoas envolvidas.

Os veículos ficaram imobilizados fora da pista, mesmo com trânsito lento em razão do acidente, não há interdição no local que está devidamente sinalizado.

A PRF trabalha no levantamento do local do acidente com o objetivo de coletar o maior número possível de informações, provas e indícios que possam corroborar para o esclarecimento do fato.

 

O piloto catarinense Virlei Wandscher, de 35 anos, morreu nesse domingo durante etapa do Campeonato Gaúcho de Motocross, em Gramado, na Serra gaúcha. O piloto chegou a ser socorrido, mas faleceu após chegar ao Hospital São Miguel.

O acidente aconteceu por volta das 13h30min, logo após a largada. A prova era disputada na pista do Gramado Cross Clube.

A Federação Catarinense de Motociclismo (FCM) lamentou a morte do piloto que “era muito experiente”. Wandscher morava em Iporã, no Oeste de Santa Catarina.

Fonte: CP

O feriado de Tiradentes foi violento no trânsito gaúcho: 15 pessoas morreram e 162 ficaram feridas em 147 acidentes. O balanço, divulgado nesta segunda-feira, pelo Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran), considerou colisões que ocorreram entre a meia noite de sexta e a zero hora desta segunda. No ano passado, o feriadão registrou 13 mortes em quatro dias.

A Operação Viagem Segura – que conta com o apoio Polícia Rodoviária Federal, a Brigada Militar e o Comando Rodoviário da BM – flagrou ainda 4.852 infrações. Dessas, 33 foram por embriaguez ao volante, sendo que 68 motoristas recusaram-se a realizar o teste do bafômetro. Todos terão que pagar multa de R$2.934,70 e terão suspensos o direito de dirigir por um ano (além da retenção do veículo e do documento). A ação recolheu 221 veículos e 103 CNHs.

Desde o feriado de Proclamação da Republica de 2011, foram realizadas 87 operações com mais de 5,2 milhões de veículos fiscalizados e 195,7 mil testes de etilômetro. Foram registradas mais de 925,7 mil infrações, sendo 18,3 mil autuações por embriaguez, incluindo recusas ao teste do bafômetro. A fiscalização também recolheu 87,8 mil veículos e mais de 23,8 mil CNHs.

Começa nesta segunda-feira a 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Até o dia 1º de junho, devem ser imunizados idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.  

Pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem receber a dose. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos de saúde em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.  

Dia D

O chamado Dia D de mobilização nacional deve ocorrer em 12 de maio. A previsão é de que nessa data estejam abertos 65 mil postos de vacinação, sendo 37 mil de rotina e 28 mil volantes, com o envolvimento de 240 mil pessoas. Também estarão disponíveis, para a mobilização, 27 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.

De acordo com o Ministério da Saúde, a dose protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, conforme determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), incluindo o H1N1 e o H3N2.   "A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos", informou o ministério.  

Reações adversas  

Após a aplicação da vacina, podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. As manifestações, segundo o governo, são consideradas benignas e os efeitos costumam passar em 48 horas.  A vacina é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores ou pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É importante procurar o médico para mais orientações.

Fonte: CP

Um homem foi preso, neste sábado, em Lindolfo Collor, no Vale do Sinos, por estuprar da enteada que, na época do crime, tinha 12 anos. Após diversos abusos, a menina ficou grávida. 

Segundo a delegada Michele Arigony, que coordenou a ação, a Polícia Civil iniciou as investigações após relatos do Conselho Tutelar. “O registro de ocorrência foi feito pelo Conselho Tutelar quando a menina apareceu grávida. Em denúncia anônima informaram que o padrasto teria abusado sexualmente da enteada, com apenas 12 anos na época dos fatos”, conta a delegada.

A confirmação do abuso se deu após resultado do laudo de exame DNA, o qual concluiu que o perfil genético do padrasto é compatível com o perfil genético do filho da vítima.

Receita Estadual ainda espera R$ 700 milhões em arrecadação

 
 

O calendário do IPVA 2018 (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor) termina na segunda-feira, quando vence o prazo de pagamento para os veículos com placas de final zero. Essa é a última etapa de cobrança, iniciada ainda no fim de dezembro, quando os contribuintes puderam se valer do desconto máximo, que chegou a 24,73%.

Até quinta-feira passada, 2,45 milhões de veículos haviam tido o imposto quitado, o que representa 69,2% da frota tributada. A três dias do prazo-limite, o IPVA 2018 registra uma arrecadação bruta de R$ 1,93 bilhão, montante que representa 75% da expectativa da Receita Estadual, que é de R$ 2,63 bilhões.

Metade do valor recolhido com o IPVA é repassado automaticamente às prefeituras, de acordo com o município de licenciamento. De uma frota que passa dos 6,5 milhões de veículos, 3,5 milhões devem recolher o imposto em 2018.

Quem não quitar o imposto até segunda-feira fica sujeito a multa de 0,334% ao dia, com limite máximo de 20%, mais a variação da taxa Selic.

Além disso, transitar sem o CRVL (Certificado de Registro e de Licenciamento de Veículo) significa infração gravíssima (art. 230, V, do Código de Trânsito Brasileiro), com risco de multa de R$ 293,47, sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a apreensão do veículo. Motoristas flagrados, em barreiras, com o IPVA atrasado também devem arcar com os custos pelos serviços de guincho e depósito.

Fonte: CP

A colisão frontal entre um Fiat Palio e uma carreta deixou dois mortos em São Sepé, na região central do Estado, na manhã deste sábado. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu no km 301 da BR 392, por volta das 6h, quando chovia na rodovia. 

Equipes da PRF estão no local para atender a ocorrência e o trânsito está em meio pista. Não há identificação das vítimas até o momento. 

Fonte: CP

O Governo do Estado autorizou nesta semana o chamamento dos 106 aprovados no concurso do Instituto-Geral de Perícias (IGP) e de 282 aprovados no concurso da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

Após a publicação da nomeação dos aprovados no Diário Oficial do Estado, os candidatos têm o prazo de 30 dias para apresentar a documentação exigida. O curso de formação dos selecionados deve iniciar até o final de maio, com duração de 60 dias.

Ao todo, serão formados 35 peritos criminais, 35 peritos médico-legistas e 36 técnicos em perícias, 201 agentes penitenciários e 81 agentes penitenciários administrativos.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira reajuste de 22,47% nas tarifas da RGE Sul. Para consumidores conectados à alta tensão, o aumento será de 24,99%, e para a baixa tensão, a alta será de 21%. As novas tarifas vigoram a partir de quinta-feira, 19 de abril. A RGE-Sul pertence à CPFL e atende a cerca de 1,3 milhão de unidades consumidoras em 118 municípios do Rio Grande do Sul.

O reajuste diz respeito ao quarto ciclo de revisão tarifária da companhia, processo realizado de quatro em quatro anos para manter o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão. O diretor da Aneel, Romeu Rufino, disse que o fato de ser uma revisão tarifária, e não um reajuste ordinário, explica o aumento elevado.

Além disso, também pesaram no índice itens como efeitos financeiros (que vigoram por apenas um ano), a parcela B, que se refere à recuperação de investimentos feitos pela empresa na rede, e encargos setoriais, que bancam subsídios tarifários.

Fonte: CP