O assassinato da transexual de nome social Thalia Costa chocou e revoltou a população da fronteira Oeste. Thalia (registrada como Genilson Costa Barbosa, de 32 anos) teve o corpo encontrado por volta das 7h30min desta quinta-feira por moradores no bairro do Passo, próximo à caixa d’água da Corsan, periferia do município de São Borja.

Vendedora de loterias e estudante, Thalia era conhecida na região pela militância que desenvolvia em favor de movimentos LGBT da fronteira. Segundo a equipe da Delegacia Polícia de Pronto Atendimento, a perícia de Santo Ângelo segue para São Borja a fim de averiguar as causas da morte.

Os primeiros indícios apontaram ferimentos a pauladas e há um suspeito, de 22 anos, preso. Ele aparece em imagens de câmeras de videomonitoramento instaladas na área onde o crime aconteceu.

Fonte: CP

Com o fim da campanha de vacinação contra a gripe em todo o País, nesta sexta, mais de um milhão de doses sobraram nos postos de saúde de todo o Rio Grande do Sul. Dessa forma, a Secretaria Estadual da Saúde liberou a imunização para o público em geral até o fim dos estoques. Dados do Ministério da Saúde dão conta de que somente 80% da população-alvo se imunizou em 2018, enquanto a meta era de 90% ou mais.

As vacinas foram distribuídas ainda em abril nas unidades básicas de saúde. No momento, não é possível quantificar quais locais ainda dispõem de doses, mas a Pasta garante que todas as cidades seguem vacinando. O Estado recebeu 4,2 milhões de doses, enquanto pouco mais de 3,1 milhões pessoas se imunizaram.

O titular da Saúde elenca razões para que a população minimize a necessidade de imunização contra o Influenza. A mais grave delas é a profusão de informações falsas nas redes sociais a respeito das vacinas para diversos tipos de doença, incluindo a gripe.

“No ano em que houve um grande número de óbitos (em 2009, ano do surto, 298 pessoas morreram), tivemos uma grande faixa da população coberta pela vacina, então aumentou o número de resistentes, tirando da percepção imediata das pessoas o fator gravidade. Além disso, há um problema sério com as fake news em relação à vacina: são grupos negando a importância dela. Além disso, o inverno passado não foi rigoroso e possibilitou menor chance de infecção. A população fica menos preocupada”, enfatizou Francisco Paz.

Entre as populações-alvo, as crianças registraram o menor índice de imunização. Em todo o Rio Grande do Sul, somente 61% receberam a dose. De acordo com o secretário, somente a meta dos idosos foi plenamente alcançada: 91% das pessoas com 64 anos ou mais se vacinaram.

As doses foram liberadas para todos, mas o critério de priorização dos grupos de risco permanece vigente. Em Porto Alegre, crianças e gestantes são os grupos com as menores coberturas vacinais – pouco mais de 50%.

A Secretaria Municipal de Saúde mantém o atendimento em todas as salas de vacina da rede, de acordo com o funcionamento das unidades, sempre de segunda a sexta-feira. Nas unidades de saúde, o atendimento vai das 8h às 17h; nas unidades São Carlos e Tristeza e no Centro de Saúde Modelo, das 8h às 22h. Na Clínica de Saúde da Família da Restinga, das 8h às 20h.

Neste ano, quatro mortes foram registradas em decorrência da gripe no Rio Grande do Sul. Ao todo, 80 casos foram contabilizados até o momento.

Fonte: CP

A Polícia Federal (PF) apreendeu na tarde deste sábado 448 quilos de cocaína nas proximidades da cidade de Santiago, no Centro do Rio Grande do Sul. A droga foi localizada em um caminhão, escondida em uma caixa de ferro concretada. 

O motorista do caminhão foi preso por tráfico de drogas e encaminhado para a Polícia Federal em São Borja. O trabalho teve a participação da Delegacia de Repressão a Drogas da PF (DRE), das delegacias da Polícia Federal em Santo Ângelo, São Borja e Uruguaiana e contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal.

O caso da execução da jovem Paola Avaly Corrêa, de 18 anos, cujas imagens entrando em uma cova e em seguida sendo baleada circularam nas redes sociais, é considerado esclarecido, afirmou hoje a Polícia Civil. As delegadas Tatiana Bastos e Clarissa Demartini, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher da Capital, anunciaram a identificação e prisão de oito envolvidos, todos integrantes de uma facção criminosa atuante no narcotráfico.

O assassinato teve como mandantes dois apenados da Cadeia Pública de Porto Alegre (antigo Presídio Central), ambos gerentes de pontos de venda de drogas na cidade. Um dos detentos era ex-companheiro da vítima, com quem ela havia rompido dias antes um relacionamento iniciado em dezembro do ano passado através da internet e concretizado em visitas íntimas no estabelecimento penal.

 
PUBLICIDADE

A delegada Tatiana Bastos revelou que Paola permaneceu no matagal cerca de nove horas em poder dos criminosos que recebiam orientações do ex-namorado dela via celular direto do presídio. “Ela foi amarrada nas mãos para trás e pelas pernas. Ela ficou o dia inteiro presenciando a cova que ficou pronta por volta das 14h. Possivelmente a partir da tarde já sabia o que ia acontecer, ficou muito calma todo o tempo, pediu perdão inúmeras vezes por telefone para o ex-companheiro”, relatou com base nos depoimentos de quem confessou com detalhes os momentos finais da jovem.

Sete dos acusados, incluindo uma mulher que filmou a execução com celular, foram indiciados por homicídio triplamente qualificado com os agravantes de feminicídio, motivo torpe e meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima, além de ocultação de cadáver. Um adolescente está entre eles. Já o oitavo participante, em situação de foragido, é indiciado por favorecimento a um dos implicados no caso. O inquérito, de quase 200 páginas, é recheado de provas coletadas e confissões de três dos indiciados pelo crime. A arma usada e dois celulares foram apreendidos para a perícia.

Mesmo ameaçada e sabendo do risco de represália após as postagens que revoltaram o ex, Paola concordou em embarcar em um veículo, possivelmente um Ford Fiesta, no dia 13 de maio, sendo então levada para uma residência e depois para o matagal. A família dela registrou então o desaparecimento. O corpo só apareceu quatro dias depois.

Fonte: CP

*Com informações da repórter Jéssica Moraes 

Sete pessoas, três mulheres e quatro homens, foram mortas a tiros durante a madrugada desta terça-feira em Viamão. Segundo informações preliminares da Brigada Militar (BM), a chacina ocorreu no bairro Vila Índio Jari.

Das sete vítimas, quatro foram mortas dentro de uma casa, quando criminosos armados invadiram o local atirando. As outras três pessoas foram assassinadas nas ruas Professor Cabral Freitas, Guarapari e Aranguará.   

Uma das vítimas chegou a ser encaminhada com vida a uma Unidade de Pronto Atendimento de Viamão, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. A BM relatou que cinco das sete vítimas teriam ligações com o tráfico de drogas ou com facções. Nenhum suspeito foi encontrado ou preso até o momento. O chefe da Polícia Civil, delegado Emerson Wendt, afirmou que cinco policiais irão reforçar efetivo que vai investigar o caso da chacina. 

 

De um lado, a tradição das raças europeias e do gado criado a campo nativo no Pampa, famoso pela carne apreciada mundialmente. De outro, o imenso rebanho de gado Nelore, dotado da rusticidade necessária para enfrentar o Cerrado. O “casamento” entre estes dois sistemas de produção tem provocado uma demanda crescente por genética de qualidade – que tem no Rio Grande do Sul um dos principais fornecedores – no Centro-Oeste, região que concentra 34,2% do rebanho bovino do país. O potencial deste mercado é demonstrado pelo aumento dos remates voltados a esses pecuaristas; pela iniciativa das associações de raça, que têm fomentado o cruzamento por meio dos seus programas de carne; e pela formação de novos núcleos de criadores em regiões tropicais.

Depois de ser influenciada pelo aumento do consumo de carne, a expansão da genética também sofreu impactos da instabilidade econômica dos dois últimos anos. Entre 2014 e 2016, por exemplo, a venda de reprodutores do Rio Grande do Sul para outros estados saltou de 1,5 mil exemplares para 3,1 mil. No entanto, no ano passado, o número caiu para 2,7 mil. Os dados são do Núcleo de Estudos em Sistemas de Produção de Bovinos de Corte e Cadeia Produtiva (Nespro) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). “A compra de reprodutores é puxada pelo preço do terneiro, e em 2017 houve uma queda expressiva no Brasil Central. A queda do preço do boi gordo também contribuiu para um desaquecimento”, observa o coordenador do Nespro/Ufrgs, Julio Barcellos.

 

Apesar do impacto da crise, o prêmio por carne de qualidade de raças britânicas e suas cruzas nos mercados de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília foi um grande “puxador” para a pecuária gaúcha, segundo Barcellos, o que incentivou a aposta em raças como a Brangus e a Braford no Cerrado. “É um aumento de demanda com um potencial que ainda não conhecemos, mas que é muito superior ao que imaginamos, pois o Brasil tem no Centro-Oeste aproximadamente 50 milhões de vacas à espera do cruzamento”, comenta Barcellos.

Segundo o especialista, o fato de o Rio Grande do Sul ser um “celeiro de genética” cobra a obrigação de buscar inovação e produtividade. “O cliente do Brasil Central quer reprodutores oriundos de fazendas eficientes, que tenham boas práticas de produção, bons resultados e indicadores invejáveis”, observa.

A entrada do sangue taurino ocorre principalmente via inseminação artificial. Isso porque as raças europeias – como Angus, Hereford e Devon – enfrentam problemas de adaptação fora do Sul do Brasil, devido à diferença de clima e dificuldades de combate ao carrapato. “Em função disso se fortaleceu o mercado para os sintéticos, principalmente Brangus e Braford”, afirma o consultor Fernando Velloso, da FF Velloso & Dimas Rocha Assessoria Agropecuária. A inseminação, porém, responde pela maior fatia deste mercado. Além disso, cerca de 70% da genética comercializada no país – 4 milhões de doses por ano no caso do Angus – ainda é importada.

O crescimento deste mercado foi influenciado pela demanda por carne de qualidade também de fora do Brasil. Assim como ocorre no Rio Grande do Sul, os pecuaristas do Centro-Oeste também exportam terneiros vivos, em especial para o Oriente Médio. Os embarques ocorrem principalmente pelos portos de Santos (SP) e Belém (PA). “Para atingir os mercados de carne de qualidade, tanto nacional quanto internacional, é necessária a genética taurina”, explica o pesquisador Fernando Cardoso, chefe de pesquisa e inovação da Embrapa Pecuária Sul, de Bagé. Se por um lado, conforme o especialista, o zebuíno encontra-se altamente adaptado às condições tropicais, a sua carne é mais dura, o que justifica o intercâmbio genético.

Na opinião de Cardoso, é possível o Rio Grande do Sul se consolidar como repositório de genética do Brasil Central e, ao mesmo tempo, aumentar a sua produtividade de carne. “Nosso grande desafio é focar a seleção, nos nossos criatórios, em animais que tenham boas características de carcaça e adaptação, ou seja, resistência ao carrapato, pelo curto e maior tolerância ao calor”, acredita. O aperfeiçoamento desta genética pode favorecer a abertura de mercado para outras regiões tropicais. Cardoso cita que o continente africano e a Austrália são vistos como algumas das próximas fronteiras da pecuária.

Fonte: CP

Os alunos do Colégio Agrícola Municipal – CAM viveram uma experiência incomum durante o desenvolvimento das atividades práticas no educandário. Foram colhidas apenas três batatas-doces em um dos vários canteiros cultivados pelos estudantes. A “pequena produção” compensou no peso, visto que somadas as três batatas alcançaram incríveis 19,24 kg.

O vice-diretor do CAM e professor responsável pelo plantio do tubérculo, Elder Elias, disse que apenas usou uma ótima adubação orgânica e demais cuidados básicos que a espécie necessita. “A maior batata atingiu 9,820kg de pura qualidade”, finalizou. A batata-doce é a quarta hortaliça mais consumida no Brasil e, em média, pesa de 150 a 250 gramas.

A batata-doce, também chamada: batata-da-terra; batata-da-ilha; jatica e jetica é uma planta da família das convolvuláceas, da ordem das Solanales - a mesma da batata, do tomate, das pimentas, por exemplo. Originária dos Andes se espalhou pelos trópicos e subtrópicos de todo o mundo.

Fonte: CP

Um carro de luxo, uma Mercedes-Benz C200, foi apreendido no final da noite dessa quinta-feira com mais de R$ 10 mil em multas, além do IPVA atrasado desde 2016. O flagrante ocorreu em São Leopoldo, no Vale do Sinos, depois que policiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF) consultaram os dados do motorista e do veículo. 

Conforme a PRF, o carro foi emplacado em São Sebastião do Caí. O veículo tem mais de 70 multas no histórico e era conduzido pelo proprietário, que estava com a CNH cassada. Após a abordagem, a Mercedes foi recolhida para um depósito, de onde só poderá ser retirado após quitação dos débitos. 

O governo estadual lança, nesta sexta-feira, um edital para contratar 800 novos Policiais Militares Temporários para o Rio Grande do Sul. As inscrições podem ser feitas de graça, entre amanhã e segunda-feira, através do site da Brigada Militar. Devem ser contratados os candidatos selecionados e aprovados em um curso de formação específico.

Para participar do processo seletivo, o interessado deve ter concluído o serviço militar obrigatório das Forças Armadas até cinco anos antes da data de abertura das inscrições; ter sido licenciado, no mínimo, no comportamento Bom e não ter sido punido pela prática de falta grave pelo regulamento disciplinar da Força a que servia, comprovado mediante certidão.

Os PMs Temporários devem executar serviços internos, atividades administrativas e videomonitoramento, e, ainda, mediante convênio, a guarda externa de estabelecimentos penais e de prédios do Poder Executivo.

Durante o curso de formação, o soldado deve receber mensalmente um salário mínimo regional. No primeiro ano após o curso de formação, o aprovado recebe 75% do vencimento bruto inicial do soldado de carreira. No segundo e terceiro ano, recebe 80%.

Estado deve chamar mais mil servidores temporários para a Segurança

Pela primeira vez na gestão atual, o governo autorizou o chamamento de servidores aposentados e egressos das forças armadas para atuarem como temporários nos órgãos da Segurança Pública. No total, 1.804 novos servidores devem reforçar as forças policiais, com destaque para a Brigada Militar.

A ação foi possível por conta de um pacote aprovado em janeiro pela Assembleia Legislativa, no qual um dos projetos trata da contratação de militares estaduais temporários e reaproveitamento de aposentados da corporação.

Entre os servidores, 1,2 mil serão destinados à Brigada Militar, 150 ao Corpo de Bombeiros Militar e 174 para as áreas de saúde da BM. Além disso, entre os aposentados, 80 vão atuar na Polícia Civil, 150 na Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e 50 no Instituto Geral de Perícias (IGP).

As atividades podem ser desenvolvidas por até dois anos, podendo ser prorrogadas no máximo uma vez pelo mesmo período. O governo não divulgou os municípios onde os convocados vão trabalhar.

Fonte: CP

O vice-prefeito de Agudo Moisés Killian (MDB) foi preso preventivamente nesta quarta-feira durante operação que investiga uma organização criminosa estruturada dentro da prefeitura. Ele e outros três servidores da prefeitura, que não tiveram identidade revelada, são alvos da operação Fogo Fátuo, da Polícia Civil.

Até o momento cinco pessoas foram presas. Os policiais cumprem ainda 35 mandados de busca e apreensão e nove de bloqueios de aditivos e indisponibilidade de bens. A ofensiva ocorre em Agudo, Santa Maria, Cachoeira do Sul, Canoas e Porto Alegre.

Segundo os Delegados André Lobo Anicet e Max Otto Ritter, as investigações duraram aproximadamente um ano, visando à desarticulação de uma organização criminosa estruturada no Município de Agudo, pelo menos desde o ano de 2012, com atuação dentro da Prefeitura, a partir da Secretaria Municipal de Obras, formada pelo vice-prefeito, seus assessores e motoristas, em conluio com empresários do ramo de máquinas e peças.

A Polícia Civil obteve dados indicando possível fraude a procedimentos licitatórios, através da combinação de valores e fracionamento das compras, buscando enquadramento nos limites legais de dispensa de licitação. Eram solicitadas notas fiscais com valores superfaturados, visando ao desvio de recursos públicos. O prejuízo estimado, considerando-se apenas os exercícios financeiros de 2015 e 2016, conforme auditorias do Tribunal de Contas do Estado, pode atingir R$ 1,1 milhão.

Fonte: CP