Descobertas em Rosário do Sul, pegadas de dinossauro raro nas Américas

Heitor Francischini, mestre e doutorando em Geociências pela Univerdade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) confirmou rastros de Anquilossauros na localidade da Cruz da Pedra, interior do municipio de Rosário do Sul. O animal primitivo era um dinossauro herbivoro dotado de uma carapaça de defesa e que pesava entre 7 e 9 toneladas, com cerca de 9 metros de comprimento e 2 metros de altura.

 

Segundo o biólogo, as pegadas foram descoberas no ano de 2014, em um trabalho de campo que foi realizado para analisar outros rastros já conhecidos. Segundo ele, na ocasião a equipe procurava pegadas descritas por outros colegas nos anos de 2007 e 2008, mas para a surpresa de todos se deparam com um novo sítio paleontológico.

 

"Tiramos muitas fotos das pegadas recém descobertas, mas foi só quando voltamos para casa, ao analisar as fotos, que pudemos ver que se tratava de um novo tipo de dinossauro", destacou Francischini. Quando vimos as novas pegadas no campo, pensamos que se tratavam de duas pegadas de ornitópodes sobrepostas, mas as fotos puderam revelar que era um material inédito. No ano de 2015, nova pesquisa foi realizada na região onde foram tiradas fotos e os integrantes da equipe realizaram desenho das pegadas sobre folhas de plástico. O biólogo destacou que a partir desta etapa , ocorreu um trabalho de análise de comparação com outras pegadas idênticadas em outras partes do mundo quando constatamos que se tratavam de rastros deixados por anquilossauros, inéditos no Brasil.

 

Estes dinossauros são quadrúpedes encouraçados e herbívoros, muito raros na América do Sul, segundo o paleontólogo. "Com base na comparação com outras evidências (ossos, dentes, pegadas, placas ósseas, etc), traçamos a distribuição destes animais e percebemos que as pegadas encontradas em Rosário eram a evidência mais antiga destes animais no nosso continente", salientou.

Fonte: CP