Federasul convida só quatro pré-candidatos a governador para congresso; PT reclama

Quinta, 07 Junho 2018 21:16 Publicado em Estadual

A Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) promove, nesta sexta-feira, o 14° Congresso da entidade, em um hotel de Gramado, na Serra. Para a programação, foram convidados quatro pré-candidatos ao Palácio Piratini: Eduardo Leite (PSDB), Jairo Jorge (PDT), Luis Carlos Heinze (PP) e Mateus Bandeira (Novo).

Os participantes terão, cada um, 15 minutos para responder a questão “como construir um Rio Grande do Sul livre e favorável ao desenvolvimento?”. A pauta engloba temas como privatização e política tributária. O governador José Ivo Sartori (MDB) foi convidado para participar do encontro, mas declinou ao responder, à época do convite, que não era candidato à reeleição.

Hoje, o presidente estadual do PT, deputado federal Pepe Vargas, criticou, em nota oficial, a decisão da Federasul de não convidar os pré-candidatos alinhados à ideologia de esquerda, como Miguel Rossetto (PT), Abgail Pereira (PCdoB) e Roberto Robaina (PSol). Em nota, Pepe Vargas considerou “lamentável” a postura da Federação em restringir o debate.

A presidente da Federasul, Simone Leite, explica que os pré-candidatos do PT, PCdoB e PSol não foram convidados por não defenderem os valores liberais. “Nós não podemos ter saúde, educação e segurança, se não tivermos a geração de riqueza, que vem da base de uma arrecadação tributária, que é muito alta. Alguém tem que pagar essa conta. E quando a gente faz benesses e traz o Estado como provedor da sociedade, isto onera e encarece a uma parte da população, que somos nós, os empreendedores e trabalhadores do Rio Grande do Sul”, rebate.

Ex-candidata ao Senado, em 2014, pelo Partido Progressista (PP), Simone Leite garante que não vai sai em defesa de Heinze lembrando que, hoje, está à frente da Federação.

Confira nota do PT:

Nota do Partido dos Trabalhadores do RS

O Partido dos Trabalhadores recebeu com absoluta surpresa a decisão da Federasul de censurar ideologicamente os pré-candidatos participantes de seu debate pré-eleitoral ao não convidar Miguel Rossetto, Abgail Pereira e Roberto Robaina, já indicados pelos seus partidos como pré-candidatos ao Governo do Estado.

A postura da entidade rompe com uma tradição de civilidade e debate democrático e plural no Estado do Rio Grande do Sul. Nunca o Brasil precisou tanto de diálogo e democracia, diante de um horizonte de sectarismo, agressividade e autoritarismo na vida pública. É lamentável ver que uma entidade como a Federasul se transformou em instrumento da intolerância.

Que fique claro, não haverá um verdadeiro debate democrático e plural sobre opções para o desenvolvimento do Rio Grande no Congresso da Federasul, o que é lamentável para a democracia e o esclarecimento dos gaúchos e gaúchas.

Pepe Vargas – Presidente do PT/RS